Comentarios de lectores/as

Hipótese Da Expansão

Pedro Benício Martins (2018-10-29)

En respuesta a Comunidade Virtual Doenças Inflamatórias Intestinais (DII)

três de julho de 2011 às vinte e três:07 A saída é apostar em produtos derivados mais naturais, como ricota, iogurtes e queijos. Para se ter uma ideia, enquanto o copo de leite tem 12g de lactose, um copo de queijo cottage tem um,4 grama. Pense em restringir estes ingredientes se você apresentar sintomas recorrentes como: inchaço, dores de cabeça, aftas, incômodo abdominal, gases, irritabilidade, anemia que não cura, deficiência de vitaminas, dores de estômago.

capsulas de lactaseNossa genética impõe qual será o nosso biotipo - se faremos o tipo mais esguio ou mais cheinho - e imediatamente nascemos com uma quantidade estabelecida de células de gordura. Se consumirmos mais alimentos funcionais do que o vital, e com isto ingerirmos mais quantidade do que aquela pro qual fomos "programados", aumentamos o número de células de gordura e engordamos. Mesmo que por volta de 8% da população mundial tenha olhos azuis, a mutação que deu origem a ela é incrivelmente recente pela história da nossa espécie. Apesar de todos os humanos tivessem olhos castanhos, pesquisadores conseguiram apontar a mutação que levou à coloração azul. Os especialistas conseguiram rastrear essa variante genética e notaram que ela ocorreu entre seis.000 e dez.000 anos atrás. A primeira pessoa de olhos azuis eventualmente morou pela Europa, visto que um esqueleto de sete 1000 anos encontrado na Espanha tinha essas características. Este é um ótimo modelo da melhoria dos seres humanos. Não nascemos para comer e tolerar leite proveniente de novas espécies, contudo esse hábito, tão comum em outras sociedades ocidentais, mostra a mutação que sofremos. Há por volta de 10 mil anos, no momento em que os europeus começaram a domesticar animais como vacas, uma mutação no gene MCM6 possibilitou que algumas pessoas continuassem produzindo a enzima lactase, permitindo-lhes beber leite. Perto com olhos azuis e tolerância à lactose, esta é uma das mutações genéticas mais conhecidas.

Você entende a diferença entre a alergia à proteína leite e a intolerância à lactose? A intolerância à lactose é a incapacidade do corpo digerir essa substância conhecida como o "açúcar do leite", com isto ocorre uma reação exacerbada do corpo quando entra em contato com a lactose. Essa incapacidade de digerir a lactose se tem que a inexistência total ou parcial de uma enzima especializada nessa ação, a lactase, encontrada pela parede do intestino delgado. O Doutor Howell efetuou experiências em ratos em que um grupo comia carne crua e vegetais e sementes crus e o outro grupo comia o mesmo no entanto cozido. Conclusão, ambos os grupos viviam quase o mesmo tempo o que surpreendeu o médico. Os ratos de ambos os grupos viveram cerca de 3 anos.

Realizar uma atividade física de estômago vago não é saudável. Todavia tem comida que sabota sua corrida e novas que são combustível Premium. Desta maneira, é tão primordial entender a fazer as trocas de alimentos de um jeito inteligente, sendo que a primeira recomendação é prestar atenção nos produtos com fibras, lactose e açúcar em exagero. Você poderá convir o consumo ao teu treino e às tuas refeições. O consumo excessivo de suplementos de enzimas digestivas pode acarretar diarréia, deste jeito, tem que-se ver o teu funcionamento intestinal. Casos de reações alérgicas são raros, porém estas não são descartadas. Estudos declaram que a suplementação de enzima digestiva está oferecendo deficiência às enzimas naturais, dessa forma é primordial avaliar as recomendações de emprego e as possibilidades de benefícios e prejuízos. A ingestão de suplementos de enzima digestiva é contra indicado para gestantes, mulheres em fase de amamentação e crianças.

Assim sendo, ao surgir no intestino grosso a lactose não está digerida acertadamente, e aí, ao ser fermentada por bactérias ocorre efeitos desagradáveis como retenção de líquidos, cólicas abdominais e diarreias. É comum confundir intolerância à lactose com alergia ao leite, todavia esses dois dificuldades têm distinções e dessa forma merecem tratamentos diferentes. Existe quem o ame e não o rejeite em ocasião nenhuma. Entretanto tem quem o odeie. O leite, considerado o alimento notável por muitos, não é suportado por considerável cota da população. Para quem sofre de intolerância à lactose, consumir leite ou ingerir seus derivados cria gases, estufa o abdome e oferece cãibras. Essa rejeição acontece em pessoas que não produzem a enzima lactase em quantidade bastante para digerir a lactose que consomem.

capsulas de lactaseA deficiência primária de lactase desenvolve-se com o tempo e inicia depois da idade de em torno de dois anos, quando o organismo começa a fornecer menos lactase. A maioria das crianças que têm deficiência à lactase não apresentam sintomas de intolerância à lactose até no término da adolescência ou idade adulta. A maioria das pessoas não tem problemas a alongado período. Crianças com deficiência de lactase dramático são capazes de fazer desidratação e desnutrição, se a doença não é diagnosticada cedo. Este teste mede a quantidade de hidrogênio que você expira. Quando à lactose fermenta no intestino, ao invés de ser digerido pela enzima lactase, produz mais hidrogênio. Muitas pessoas que têm gás, angústia abdominal, distensão abdominal e diarréia suspeitam ser intolerantes à lactose. A melhor maneira de saber é não ingerir leite ou comer produtos lácteos para acompanhar se os sintomas desaparecem. Coma 2 pra começar a se exercitar. Também vale ingerir pera ou maçã, visto que ambas são fontes de vitaminas do complexo B (que auxiliam na elaboração de energia), fósforo (considerável para o sistema nervoso central) e vitamina C (antioxidante). Caso goste de frutas secas, elas são permitidas, que seus carboidratos são facilmente absorvidos pelo corpo. Uma barra de bananinha seca é fantástica pra aquele lanche de 15 minutos antes de correr. A união funciona como sensacional referência de carboidrato e supri a vontade de consumir alguma coisa açucarado mesmo que antes de treinar.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/