Comentarios de lectores/as

Orientações Médicas E O Remédio Lactaid

Alícia Fernandes (2018-10-10)


A intolerância à lactose veta a digestão de alimentos que contenham o açúcar achado no leite e seus derivados, em alimentos como pão, cereal, carne pra sanduíches, molhos para salada, bolos, biscoitos e panquecas. Ao ingeri-los, a pessoa sob essa condição podes apresentar aflição abdominal, gases, diarreia e até uma inflamação no estômago. Ex.: diástase, litíase, lordose. O sufixo -ase é empregado "especialmente pela acepção de fermento solúvel (diástase), de onde se tomou diretamente". A expressão diástasis, em grego, significa separação, e foi utilizada por Kirchhoff, em 1814, pra eleger a substância encontrada no extrato de cevada, responsável pelo desdobramento do amido em dextrina e glicose. O mesmo termo estendeu-se a todo catalisador biológico de natureza protéica. Distinto da intolerância à lactose, a alergia à proteína do leite é mais complexo de ser diagnosticada, podendo aparecer os sintomas depois de três dias do consumo, o que leva uma contrariedade de agregação do alimento. Os 2 geram um quadro inflamatório e inflamação está associada com a obesidade. E também poderem conduzir a um quadro de disbiose. Como são os produtos sem lactose? Nos produtos alimentícios sem lactose, a proteína do leite não deixe de haver.

comprimidos de lactaseTudo bem , Adri ! Meu nome é Cláudio e tenho intolerância ao medicamento Lactulona (lactase) , por isso tenho intolerância a lactase . No momento em que tomo leite retrata uma saburra no canto da boca amarela . Você sabe me relatar se tenho bem como intolerância a Caseína do Leite , não localizei nenhum documentátio médico na Web . Cerca de setenta por cento da população brasileira retém qualquer grau de intolerância à lactose, segundo detalhes do Ministério da Saúde. Estima-se que a lactose, açúcar presente no leite, atinja seis por cento das crianças com menos de 3 anos de idade e 3,5% em adultos, ainda segundo esse levantamento. Por perguntas de saúde ou preferência alimentar, a lactose ganhou popularidade e hoje ocupa enorme cota das prateleiras e geladeiras dos supermercados.

Os sintomas podem ser angústia abdominal, estufamento abdominal, gás, diarréia e náuseas. Os sintomas de intolerância à lactose são capazes de ser manejados com alterações dietéticas. Adquirir cálcio e vitamina D suficientes é uma aflição das pessoas com intolerância à lactos quando a ingesta de leite e derivados é limitada. Muitos alimentos conseguem fornecer o cálcio e outros nutrientes que o corpo humano necessita. Conversando com o teu médico ou nutricionista pode ser vantajoso para planejar uma dieta balanceada que disponibiliza uma quantidade adequada de nutrientes - incluindo cálcio e vitamina D - e minimiza o incômodo. Um profissonal da saúde poderá precisar se o cálcio e outros suplementos alimentares dietéticos são necessários. Leite e derivados são frequentemente adicionados a alimentos. Para as pessoas que não domina, a intolerância à lactose consiste numa incapacidade de digerir produtos lácteos como leite, queijo, manteiga, etc., e está cada vez mais presente pela nossa população. No Brasil, 43% dos brancos e dos mulatos têm alelo de dedicação da lactase, quer dizer, são geneticamente predispostos a ter intolerância à lactose, dado mais constante entre os negros e japoneses. Mas, tal quanto setenta por cento dos adultos brasileiros poderá ter qualquer grau de intolerância a lactose, o que significa que ainda conseguem consumir laticínios, no entanto terão qualquer sintoma suave. Em países asiáticos, cerca de 90% da população chega a ter dificuldades com a lactase em um grau. Esses números parecem altos, porém a definição é acessível. A intensidade desses sintomas varia dependendo da quantidade de lactose consumida, e pode aumentar com o passar da idade. Segundo Ricardo Barbuti, gastroenterologista associado da Federação Brasileira de Gastroenterologia, toda humanidade que tem geneticamente a intolerância tem uma má absorção de lactose, porém isto não causa sintomas a todo o momento.

É cada vez mais comum nos depararmos com leites e produtos lácteos ‘sem lactose’ nos supermercados e nos anúncios de televisão do Povo. Imediatamente mostraram-se bem como os remédios para intolerância à lactose, o açúcar do leite de vaca, nas farmácias e claro, nos anúncios de televisão. Existe até uma linha inteira de produtos desse tipo destinada às crianças, que inclui, entre outros ítens, leite condensado, doce de leite e achocolatado. Tenho intolerância a lactose e recebi a recomendação de ingerir a enzima lactase. Amaria de saber se existe um limite para o consumo da enzima. Segundo Ricardo Barbuti, médico assistente do departamento de gastroenterologia do HC da USP, a intolerância acontece pela incapacidade de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Os sintomas da intolerância são só digestivos, durante o tempo que os da alergia podem afetar o sistema respiratório e a pele, como por exemplo. Bebês que nasceram prematuros algumas vezes demoram para fornecer a quantidade adequada de lactase. O grau de realização da enzima pelos bebês normalmente se intensifica durante o último trimestre da gravidez. É até possível os sintomas da intolerância à lactose aparecerem em crianças pequenas, todavia o mais normal é eles surgirem em crianças maiores, adolescentes e, principalmente, adultos. É incomum bebês terem intolerância, sendo mais comum apresentarem alergia à proteína do leite.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/