Comentarios de lectores/as

Cerca de 40 por cento Da População Brasileira Têm Intolerância à Lactose

Alícia Fernandes (2018-10-10)


alimentos funcionaisFiz um postagem sobre isto neste local,contando como foi no momento em que eu descobri a intolerância. Hoje vejo como parcela de quem eu sou. O ser humano é super adaptável, e é ótimo descobrir o que te faz mal e o que te faz bem né? Existem tantas coisas piores, que me sinto muito sortuda de ter só uma pequena intolerância! A alergia tardia ao leite de vaca é a mais comum e, por causa de seus sintomas aparecerem bastante tempo após o consumo do alimento, tem teu diagnóstico extremamente dificultado. A albumina, proteína do ovo, é utilizada em marshmallows, comidas congeladas e algumas misturas pra alimentos. A clara assim como está entre os principais alimentos alérgenos. O glúten presente nesses alimentos podes causar alergia a crianças portadoras de doença celíaca. O peixe estragado mostra altos teores de histamina (que causa reação alérgica intensa), mesmo antes que exista alteração do sabor.

Logo na manhã, você toma um copo de leite e, ao longo do dia, sofre com gases insistentes. Optar na fatia de queijo não muda em nada o problema. Um pão com requeijão, sendo assim, poderá até criar náuseas. Essas situações são corriqueiras na existência de muitas pessoas, contudo é essencial entender que os desconfortos não são normais e podem indicar um defeito de saúde. Hoje, é possível localizar nas prateleiras de qualquer hipermercado, e com diferença não tão alta de valor, alimentos como leite, manteiga, iogurte e até queijos sem a substância. No ano passado, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decretou que alimentos à base de leite necessitam ser rotulados de acordo com a quantidade de lactose presente. Remover o glúten da dieta emagrece? Não há um emagrecimento ao longo do tempo caso seja feita a opção de afastar o glúten da dieta. "Existe um emagrecimento inicial pelo motivo de corta-se o pãozinho do café da manhã ou o misto quente com 100g de presunto e 100g de queijo de recheio da padaria.

Pois a extenso maioria era para cautela e o único "remédio" que minha esposa usa regularmente na verdade não é medicamento, é lactase, dado que ela tem intolerância à lactose. No entanto o direito é levar receita de tudo que depender de receita. Provavalmente, é possível que cobrem. Mas ninguém passa receita para neosaldina, a menos que possa ser um defeito muito duradouro. A alergia é uma reação imunológica adversa às proteínas do leite, que se manifesta depois da ingestão de uma porção, por menor que seja, de leite ou derivados. A mais comum é a alergia ao leite de vaca, que pode provocar transformações no intestino, na pele e no sistema respiratório (tosse e bronquite, como por exemplo). Esse fato é mais evidente em algumas raças como a negra (até 80% dos adultos têm deficiência) e menos comum em novas, como a branca (20 por cento dos adultos).

"A glicose, por ter um princípio sensorial de ser mais açucarado que a lactose, altera o sabor do leite, deixando-o com um gosto mais adocicado, contudo não há adição de açúcar (sacarose) ao item. O leite com baixo teor de lactose não tem nenhuma perda de nutriente. Ele fornece o mesmo valor calórico, fornecimento de nutrientes, aminoácidos e vitaminas consideráveis. Mas, por se cuidar de um processo de geração de preço elevado, o valor fim do item é mais alto", explica o professor.

É cada vez mais comum nos depararmos com leites e produtos lácteos ‘sem lactose’ nos supermercados e nos anúncios de tv do País. De imediato apresentaram-se assim como os remédios para intolerância à lactose, o açúcar do leite de vaca, nas farmácias e claro, nos anúncios de televisão. Existe até uma linha inteira de produtos desse tipo destinada às crianças, que acrescenta, entre outros ítens, leite condensado, doce de leite e achocolatado. Tenho intolerância a lactose e recebi a recomendação de ingerir a enzima lactase. Desejaria de saber se há um limite pro consumo da enzima. Segundo Ricardo Barbuti, médico assistente do departamento de gastroenterologia do HC da USP, a intolerância ocorre na incapacidade de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Os sintomas da intolerância são só digestivos, sempre que os da alergia conseguem afetar o sistema respiratório e a pele, tendo como exemplo. Bebês que nasceram prematuros às vezes demoram pra fornecer a quantidade adequada de lactase. O grau de elaboração da enzima pelos bebês geralmente se intensifica durante o último trimestre da gravidez. É até possível os sintomas da intolerância à lactose aparecerem em crianças pequenas, entretanto o mais normal é eles surgirem em crianças maiores, jovens e, principalmente, adultos. É especial bebês terem intolerância, sendo mais comum apresentarem alergia à proteína do leite.

Isso agride a mucosa do intestino e aumenta o problema em puxar a lactose", explica Camargos. Uma boa notícia pros intolerantes é que uma nova determinação da Anvisa exige que os fabricantes citem no rótulo dos produtos o nível de lactose. Serão 3 ‘categorias’: zero lactose, miúdo teor e contém lactose. Desse jeito, ficará mais fácil ajustar a dieta de acordo com o grau de intolerância. "Quando não é quebrada, a lactose chega ao intestino grosso intacta. Ali, é fermentada por bactérias, e isto causa o mal-estar", diz o nutrólogo Fernando Chueire, da Liga Brasileira de Nutrologia. Uma conduta comum é deixar de lado alimentos que caem mal sem consultar um médico - quantidade arriscada que pode prejudicar ainda mais a saúde. Em casos extremos, é necessário tomar medicamento. Fisiopatologia - Quando o glúten derivado do trigo, centeio ou cevada entra em contato com a mucosa intestinal, ele reage formando gliadinas, que são capazes de circunstância lesões. A razão mais comum de diarréia osmótica é a má-absorção de lactose por deficiência enzimática (remedio lactase preço). A deficiência da lactase podes ser congênita ou secundária a infecção viral, giardíase, espru celíaco ou doença de Crohn. Farrell RJ, Kelly CP - Diagnosis of celiac sprue.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/