Comentarios de lectores/as

Lactaid, Meu Santo Companheiro!

Pedro Benício Martins (2018-09-16)

En respuesta a Causa, Sintomas E Tratamento

Em princípio, a mulher que amamenta não necessita limitar nenhum alimento e precisa preservar uma dieta natural e saudável. Contudo sabemos que do mesmo modo medicamentos, drogas e toxinas são capazes de ir pro rapaz através do leite, o mesmo acontece com os componentes da alimentação materna. Cada moça é única, e sempre existe a chance do seu filho expor alguma sensibilidade aos componentes de um alimento.

capsulas de lactaseA principal circunstância, conforme explica o endocrinologista, é a tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune e crônica. Os sintomas envolvem ganho de peso, intolerância ao gelado, queda de cabelo, retenção de líquido, constipação, unhas quebradiças, sonolência e cansaço. A doença é controlável com medicamentos de reposição hormonal. — Com isto, a glicemia tem uma disparada súbita e é preciso dar início o uso da aplicação de insulina na via subcutânea. Pela superfície mucosa do intestino delgado há células que produzem, estocam e liberam uma enzima digestiva (lactase), responsável pela digestão da lactose. No momento em que esta é mal absorvida sofre ação da flora intestinal, produzindo gases e ácidos orgânicos, o que resulta na desta maneira chamada diarreia osmótica, com extenso perda intestinal dos líquidos orgânicos. Em qualquer época da vida poderá mostrar-se esta incapacidade, igualmente, o problema podes advir de lesões intestinais crônicas como nas doenças de Crohn, retocolite ulcerativa, e outras. Os sintomas são variáveis de pessoa a pessoa e segundo a quantidade ingerida. Ardência anal e assadura (devido acidez fecal intensa).

Quando mamíferos são filhotes, eles produzem uma enzima chamada lactase para auxiliar a digerir a lactose do leite materno. Assim que estes bebês crescem, o leite deixa de ser uma opção de alimento e a enzima não é mais necessária, logo mamíferos adultos geralmente param de produzi-la. Um terço dos seres humanos, entretanto, continua produzindo a enzima durante toda a existência, o que significa que são tolerantes à lactose após a infância. Intolerância à lactose é o nome que se oferece à incapacidade parcial ou completa de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. A alergia às proteínas do leite de vaca atinge por volta de uma em cada vinte crianças lactentes, mas assim como atingem adultos. Ela poderá se demonstrar por intervenção de lesões pela pele com coceira e inchaço, diarreia ou vômitos, anafilaxia e, incertamente, por sintomas respiratórios como chiado no peito, tosse e espirros.

O discernimento da estrutura das proteínas é fundamental pra dominar a forma como estes catalisadores fazem sua atividade catalítica e como esta se relaciona com a infraestrutura. Existe uma estreita ligação entre a estrutura das enzimas e sua atividade catalítica. Ou melhor, é a infraestrutura protéica que instaura as interações entre a enzima (catalisador) e o substrato (reagente), que participam dessa catálise. O substrato precisa ser capaz de se ligar de modo específica à enzima que, por meio desta interação, facilita a transformação do substrato em objeto. Várias das informações para quem tem dificuldade com digestão de lactose seria comer queijo maturado: queijos que depois de criados ficam um estabelecido tempo dentro de câmaras para que, dentre outras reações químicas, a lactose seja degradada pelos microorganismos. "Os queijos parmesão e suíço são exemplos de queijos maturados, apresentando bastante menos lactose em comparação com um queijo Minas frescal. Há, ainda, a opção de obter cápsulas com a enzima lactase onde comprar que desde o ano anterior passaram a ser fabricadas no Brasil", conta Marcelo. Toma-se uma cápsula antes de ingerir um produto que contenha lactose e, desta forma, a enzima atua no corpo, auxiliando pela digestão.

A capacidade de gerar lactase vai-se perdendo com a idade, iniciando essa perda logo depois da amamentação, pelos 2 anos. Esta Deficiência de Lactase genética é extremamente freqüente, atingindo mais de dez por cento da população adulta portuguesa e mais de setenta e cinco por cento de determinadas etnias africanas e noventa por cento asiáticas. Esta doença é, porém, insuficiente freqüente nos povos do norte da Europa. 2 - A Deficiência de Lactase poderá ser adquirida: numerosas doenças (enterite viral, Doença Celíaca, Giardíase, Doença de Crohn) causam alterações da mucosa intestinal, levando a Deficiência de Lactase e conseqüente intolerância ao leite.

capsulas de lactase↑ SOLÉ, Dirceu. «Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar» (PDF). Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia. ↑ MATTAR, Rejane; MAZO, Daniel Ferraz. «Intolerância à lactose: transformação de padrões com a biologia molecular» (PDF). Rev Assoc Med Bras. ↑ MEDEIROS, Lilian C. S. «Ingestão de nutrientes e estado nutricional de crianças em dieta isenta de leite de vaca e derivados» (PDF). Jornal de Pediatria. pp. A família era acostumada a consumir pão, bolo caseiro, pizza, sorvete. Hoje, todos os quitutes permanecem no cardápio, entretanto quem cria é a própria culinarista. Jaqueline buscou auxílio pela web, com médicos, nutricionistas, fez amizades com outras mães de crianças com alergia alimentar e descobriu que a dificuldade é comum. Ela resolveu compartilhar a compreensão adquirido e montou a página "Alérgicos Saudáveis" no Facebook, com informações a respeito de restrição alimentar e receitas. Já para os que não possuem acesso à web, Jaqueline lançou um livro com algumas mães, com receitas criadas essencialmente pra ceia natalina. Procure pelas versões que não contenham leite na sua composição , aconselha a nutricionista para driblar a intolerância. Apesar de serem causadas pelo mesmo alimento e apresentarem sintomas iguais, a intolerância à lactose e a alergia ao leite são patologias distintas. A intolerância à lactose ocorre quando, por um porquê, o corpo não produz a quantidade suficiente da enzima lactase , lembra Karina. Imediatamente a alergia ao leite de vaca é provocada pelas proteínas (presentes no leite , completa.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/