Comentarios de lectores/as

Anvisa Define Regras Pra Rotulagem De Alimentos Com Lactose

Alícia Fernandes (2018-08-24)


enzima lactase comprarBebidas vegetais, como por exemplo, são à base de soja, amêndoas e castanhas e servem como alternativas ao leite de vaca. Se mesmo desta forma você ainda não se adaptou a essas bebidas vegetais e não conseguiu reduzir o consumo de leite, é possível inserir gotas da enzima lactase aos alimentos à apoio de lactose para facilitar a digestão nesse açúcar. "Como a variação gênica é recessiva, se faz crucial que tal o pai quanto a mãe transmitam o gene da intolerância à lactose para o filho, portanto a raridade", explica Gabriela. Ainda que não exista uma cura à intolerância, tem como controlar os sintomas. O trajeto mais acessível é deixar de consumir alimentos com lactose, no entanto outra dica é ingerir a lactase, a tal enzima que digere a lactose, em forma de cápsula ou comprimido lactase mastigável antes de ingerir leite normal, sinaliza Andreia. Contudo, este consumo precisa ser orientado por um especialista qualificado.

É respeitável não confundir a intolerância à lactose com novas doenças ou disfunções que podem causar quadro parelho. Para que pessoas estiver com suspeita de intolerância à lactose e quiser fazer um teste em casa, basta afastar da alimentação os leites e derivados durante uma semana. Se o desconforto sumir, pode estar aí o pretexto.

Dando continuidade sobre a minha "saga" vou revelar um pouco sobre isto as recomendações médicas. O Lactaid é um suplemento alimentar que contém uma amplo concentração de Lactase, enzima responsável por degradar o açucar do leite e que todos nós temos ( ou deveríamos ter ) pela flora natural. A baixa concentração desta enzima ou a inexistência dela ( no meu caso ) origina diferentes graus de intolerância à lactose. Por que outras pessoas têm intolerância à lactose? Não se entende exatamente por que várias pessoas têm intolerância à lactose. O que se compreende é que não é um fenômeno inabitual: estima-se que afete milhões de adultos só no Brasil, bem que não haja números precisos. Pessoas de ascendência oriental parecem também ser mais propensas à intolerância, principalmente na idade adulta ou pela adolescência. A intolerância à lactose não chega a ser considerada uma doença. É difícil que um moço nasça agora intolerante à lactose. Caso isso aconteça, o guri tem diarreia permanente desde que nasce, e não consegue digerir nem ao menos o leite materno nem ao menos fórmulas artificiais à apoio de leite de vaca.

É um tipo de alergia? Alguns concluem que são alérgicos ao leite devido às reações que têm após ingerirem um laticínio. Logo qual é o diagnóstico? Segundo alguns alergistas, as verdadeiras alergias a alimentos são raras, afetando somente entre um por cento e 2% da população em geral. Essa estimativa se intensifica um pouco quando se trata de crianças, todavia não chega a 8 por cento. A despeito de os sintomas da alergia e da intolerância à lactose sejam similares, há diferenças entre eles. Os sintomas de alergia alimentar aparecem quando seu sistema imunológico se defende — produzindo histamina — contra algo que você comeu ou bebeu. Alguns sintomas são inchaço dos lábios ou da língua, urticárias ou asma.

É um caminho descomplicado afim de quem não abre mão de continuar consumindo as mesmas coisas, sem atravessar mal. Hoje a quantidade de produtos que tem a enzima é enorme: leites, iogurtes, coalhadas, queijos. Fornece com o intuito de se virar bem com eles. Eu agora falei sobre isso nesse artigo, porém muita gente ainda fica em dúvida quanto à ter leite, não ter leite, tem lactose, não tem. Primeiro: Whey Protein sem lactose: Isolado ou Hidrolisado. Qual você necessita tomar, o teu nutricionista é quem tem que te nortear. Bebem Kefir ao invés água e comem Kefir desde a infância.. Entre eles, pessoas com 110 a 150 anos de idade não são uma raridade. Não conhecem tuberculose nem ao menos câncer e não sofrem de dificuldades digestivos.. Teu nome varia segundo o lugar; pela América Latina se chama Tibicos (no México essa bebida e algumas fermentadas são extremamente utilizadas); na Europa, chamam cristais japoneses; pela Ásia e África, Kefir. Podem ser colocados no leite, onde fermentam a lactose ou de PREFEERÊNCIA, pela água com açúcar, onde fermentam a glicose. O médico pode fazer uma análise do sangue, um teste de bafômetro ou um checape de fezes pra detectar se as dificuldades são devidos a esta intolerância. Nos rótulos dos alimentos, procure pelas frases: leite, soro de leite, requeijão, laticínios, leite desidratado, sólidos de leite e leite em pó. Se qualquer um destes ingredientes estiver representado pela embalagem, o artefato contém lactose. A intolerância à lactose se expõe no momento em que o intestino delgado não produz enzima lactase o bastante. O corpo dos bebês fabrica esta enzima para que eles possam digerir o leite materno.

A lactose é um dissacarídeo que é, uma substância resultante da combinação de duas moléculas de açúcares simples (monossacarídeos), que no caso de lactose são a glicose ea galactose. Para ser absorvido, é necessário quebrar a lactose em seus dois componentes básicos. Esta ruptura é fornecido por uma enzima chamada lactase, que está presente no revestimento interno (o epitélio da mucosa) do intestino delgado. O que é intolerância à lactose? Lactose é o açúcar presente no leite. Devemos da enzima lactase pra quebrar este açúcar e por volta de 80% da população brasileira possui algum grau de intolerância à lactose. Conforme vamos envelhecendo, essa enzima para de ser produzida e consequentemente a lactose deixa de ser quebrada. No momento em que isto acontece, as bactérias fermentam essa lactose que não foi absorvida causando desconfortos gástricos e produzindo substâncias tóxicas para o nosso organismo.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/