Comentarios de lectores/as

Dr. Paulo Maciel

Alícia Fernandes (2018-08-24)


comprimidos de lactaseO kefir mostra propriedades antivirais, antifúngicas e antibióticas, estimulando o sistema imunológico. Também possui efeitos aperitivos e afrodisíacos. É extremamente proveitoso em uso externo pra patologias dérmicas (acne, eczemas, psoríase, alergias, etc.), dado que é um robusto anti-séptico que assistência a curar feridas. Mostra-se extremamente efetivo na precaução e cura de doenças produzidas pelo vírus do herpes. Domina-se que o herpes tipo II participa pela gênese de distintas doenças, por exemplo câncer, artrites reumáticas, patologias renais, trombo-embolias, alergias cutâneas e asmáticas, esquizofrenia, parkinson e diabetes. Além de mobilizar o sistema imunológico, o kefir estimula algumas funções orgânicas, melhorando o estado da pele e cabelo. Seu uso continuado produz extremamente bons efeitos em convalescença após graves doenças.

Rótulos de todos os alimentos e bebidas industrializadas terão que mostrar, em até 2 anos, alertas sobre a presença de lactose pela constituição dos produtos. A decisão, que impõe critérios e período para a nova advertência nos rótulos, foi tomada nesta terça-feira (trinta e um) na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A proporção ocorre depois do governo sancionar, em julho de 2016, uma lei que neste momento obrigava que o alerta fosse inserido. A justificativa é o acréscimo no diagnóstico de pessoas com intolerância a essa substância, que é um açúcar presente no leite. Faltava, contudo, regulamentar como essa advertência seria feita. Agora, a nova norma prevê que alimentos tragam três tipos de alerta, a precisar da quantidade de lactose nos produtos. As diretrizes de dietas recomendam que as pessoas com intolerância à lactose escolham derivados do leite com pequenos níveis de lactose que o leite comum, como o iogurte e os queijos duros. O leite sem lactose ou com pequeno teor de lactose e derivados do leite acessíveis pela maioria dos supermercados, são parelhos a leite comum no entanto que a enzima lactase foi a ele adicionada. O leite sem lactose permanece fresco por acerca da mesma extensão de tempo ou mais que o leite cmum se ele for ultra-pasteurisado.

Contamos ainda com o teste respiratório em que o paciente bebe um líquido com lactose e mede-se a quantidade de hidrogênio expirado. No caso da intolerância a lactose expira-se uma quantidade superior de hidrogênio. No entanto em casos particulares, como nas parasitoses e gastroenterites, essa circunstância não é reversível. O presságio é agradável pela maioria dos casos. A Intolerância a lactose podes ser Primaria ou Secundária. A Primária ocorre por uma diminuição natural da criação de lactase que podes ocontecer no decorrer da existência, em graus variáveis, atinge até 70 por cento da população brasileira e não desaparece ou regride seja com dieta ou medicamentos. E ainda podes suceder de ter as duas associadas. O sublime é buscar um gastroenterologista e fazer uma avaliação. As enzimas são compostos sintetizados no interior das células vivas que desempenham interessante papel no processamento e deterioração dos alimentos. A atuação das enzimas pela panificação ocorre de maneira complexa. Sua presença tem como objetivo aprimorar as características reológicas da massa, atuando nas moléculas do amido ou de proteínas e também como branqueadoras de farinhas com grande teor de pigmentos escuros.

Ele conta que existe ainda um teste genético, em que os genes do paciente são estudados para saber se existe carga para a intolerância, no entanto esse checape está disponível em pouquíssimos lugares no Brasil. O especialista ressalta que existe diferença entre intolerância alimentar e alergia, que é uma reação imunológica descontrolada do organismo a alguma substância. Para quem tem intolerância à lactose e faz pergunta de continuar consumindo derivados do leite, Barbuti explica que existem no mercado comprimidos de lactase. Entretanto, só 0,6 por cento dessa porção é proteína, o que significa que são necessários 229 litros de leite pra produzir 1 kg de whey protein de baixa propriedade. Isto é, adquirir bons níveis de whey protein através do consumo de leite de vaca in natura é impossível. Por esse caso, a suplementação é a melhor capacidade. Outro fator a ser considerado é conhecido como intolerância à lactose - carboidrato presente em enorme concentração no leite. A hidrólise da lactose acontece por ação da lactase onde comprar presente nas microvilosidades intestinais, sendo convertida em galactose e glicose.

lactaseIntolerância secundária: ao contrário da anterior, a lactase desaparece ou reduz por causas transitórias, o que significa que a intolerância é temporária e após um tempo, é possível retornar a ingerir lactose. Deficiência congênita de lactase: o menino neste instante nasce com um distúrbio metabólico que o evita de digerir a lactose, assim é uma intolerância infinito, entretanto, até recentemente, era sério, pelo motivo de a criancinha não podia tomar o leite materno. Felizmente, é um tipo inusitado de intolerância. No momento em que os níveis de lactase são insuficientes, a lactose não é digerida no intestino delgado e chega em grande quantidade ao cólon, porção do intestino rica em bactérias. Algumas bactérias do nosso intestino grosso são capazes de fermentar a lactose, um recurso que resulta pela elaboração de gases de hidrogênio e ácidos. Ademais, a lactose é uma substância altamente osmótica, que "puxa" água e sais minerais da parede do cólon, aumentando o volume das fezes. A abundância da espécie humana é uma das coisas mais bonitas da meio ambiente, e só ocorre por conta de uma palavrinha não é sempre que bem vista: mutações. Antes de lembrar-se dos X-Men, as mudanças genéticas assim como resultam em diferenças como a cor dos olhos ou dos cabelos. Pensando nisso separamos novas das mutações mais comuns presentes nos seres humanos para provar que não é preciso ser o Professor Xavier para se consiederar um mutante.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/