Comentarios de lectores/as

Saúde Digestiva E Bem-Estar

Alícia Fernandes (2018-08-13)


alimentos funcionaisRio de Janeiro--(DINO - 15 10, 2016) - As ceias natalinas, que representam a combinação em diversos lares, poderão gerar um palpável pesadelo para que pessoas imediatamente sofre com as incômodas alergias. Segundo uma revisão de estudos divulgada em 2008 na publicação Current Opinion in Pediatrics, leite bovino, soja, amendoim, ovo, castanhas, trigo, peixes e frutos do mar são os alimentos responsáveis por noventa por cento dos casos de alergia alimentar. E as mesas de Natal, como todos sabem, são repletos de diversas destas comidas detestadas pelo sistema imunológico dos alérgicos. Segundo o coordenador técnico do Brasil Sem Alergia, o médico Marcello Bossois, o leite de vaca, presente em vários pratos das celebrações de término de ano, como no caso da rabanada, é o maior causador dos quadros de alergia alimentar. A caseína, proteína do leite bovino, é uma das principais responsáveis pelo dificuldade.

É um tipo de alergia? Alguns concluem que são alérgicos ao leite devido às reações que têm depois de ingerirem qualquer laticínio. Portanto qual é o diagnóstico? Segundo alguns alergistas, as verdadeiras alergias a alimentos funcionais são raras, afetando somente entre 1 por cento e 2% da população em geral. Essa estimativa aumenta um pouco no momento em que se trata de crianças, contudo não chega a oito por cento. Se bem que os sintomas da alergia e da intolerância à lactose sejam idênticos, há diferenças entre eles. Os sintomas de alergia alimentar aparecem quando teu sistema imunológico se defende — produzindo histamina — contra algo que você comeu ou bebeu. Alguns sintomas são inchaço dos lábios ou da língua, urticárias ou asma.

A enzima responsável pela degradação da lactose - a lactase - diminui a sua realização em noventa e cinco por cento depois da amamentação. O trigo nunca foi ingerido pelo homem antes da agricultura (dez.000AC), porque é uma folha seca. Sobrecarrega o aparelho digestivo, cria bolo alimentar (incha) e é uma das causas da síndrome metabólica, que pode conduzir à diabetes e obesidade. Eu só irei dividir nesse lugar as dicas que funcionam pra mim! Nos finais de semana, quando me libero para ingerir alguma coisa com lactose, a toda a hora tomo a enzima lactase, pra colaborar na digestão. Existem alguns remedinhos que contém a enzima. Para quem vai viajar, ou conhece uma pessoa que vai, em qualquer farmácia americana é possível encontrar o Lactaid Fast Act. Basta tomar logo antes da primeira mordida do alimento com lactose, e pronto! O primordial é saber que se for MUITA lactose, é melhor tomar dois comprimidos.

Em geral, as enzimas são moléculas proteicas associadas a outra substância não-proteica, chamada de coenzima ou radical prostético. No centro da enzima há uma localidade chamada de sítio ágil, apto de se fixar nos reagentes ou substratos e tornar mais fácil a reação entre eles. Este sítio ágil é específico, funcionando como um sistema chave/fechadura. Como saber se sou intolerante à lactose? As pessoas que são extremamente sensíveis à lactose conseguem não ser capazes de digerir até já alguns goles de leite. Assim sendo, se você é intolerante à lactose em um grau crítico, possivelmente você agora percebeu isto. Pra maioria das pessoas, são necessárias doze gramas de lactose pra que os sintomas comecem a aparecer. Os dissacarídeos da nossa alimentação para serem absorvidos no Intestino Delgado precisam de ser desdobrados em dois monossacarídeos. A não absorção destes dissacarídeos pode criar diarréia, agonia abdominal e leva à geração de gazes no cólon. 1 - A Deficiência de Lactase poderá ser genética a despeito de sejam raras as crianças que nascem sem a know-how de produzir lactase. A Alactásia, ausência total de lactase é extremamente rara e aparece logo no recém-nascido.

11 de novembro de 2012 às 3:Quarenta e oito Os pacientes devem procurar um médico de certeza pra observação completa de cada caso. A Prati-Donaduzzi, indústria farmacêutica especializada no desenvolvimento e elaboração de medicamentos genéricos e parecidos, é a primeira no povo a comercializar os remédios fracionáveis. Com sede em Toledo, oeste do Paraná, tem mais de 4 mil colaboradores e tem um dos maiores portfólios de medicamentos genéricos do Brasil. Produz, em média, doze bilhões de doses terapêuticas por ano. No desfecho de janeiro, a Anvisa ordenou que os fabricantes serão obrigados a informar a presença de lactose nos alimentos. Isso vale para alimentos com mais de cem mg de lactose pra cada cem g ou ml do artefato. Ou melhor, cada alimento que contenha lactose em quantidade acima de 0,1 por cento terá que levar a frase "Contém lactose" em teu rótulo.

A intolerância genética é maior em acordadas raças de seres humanos. Portanto, são intolerantes genéticos à lactose por volta de noventa por cento dos asiáticos (chineses, japoneses, filipinos, coreanos etc.), 75 por cento dos negros, árabes, judeus, gregos cipriotas, esquimós, índios e em torno de 15 % dos europeus. A intolerância genética, contudo, só aparece depois de alguns anos de existência, dois a 3 anos por exemplo, apesar de existir raras exceções. Crianças de qualquer raça com menos de um ano, normalmente, são tolerantes à lactose. Entretanto vamos comparar puramente as dosagens. O Lactosil vem em sachês de 10000 FCC cada. 2,00. Pode ser que você precise tomar mais de uma dose segundo o alimento que estiver ingerindo. LACTASE-ALIVIO-Rapido-180-capsulas-vegetarianas ), vem em cápsulas de 9000 FCC cada. 0,sessenta e sete. Levando em conta que o website dá desconto na compra de mais de um pote, e o frete acaba saindo gratuitamente, o valor de cada dose vai baixando ainda mais. Eu diria que comparado ao Lactosil, este da Biovea me parece mais cativante.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/