Comentarios de lectores/as

INTOLERÂNCIA À LACTOSE - Sintomas E Tratamento

Alícia Fernandes (2018-08-07)


suplementos alimentaresO diagnóstico pode ser confirmado com o Teste de Tolerância à Lactose (TTL) ou pelo Teste Respiratório. O teste mais descomplicado é fazer abstinência total de leite e produtos derivados do leite (queijo, iogurte, bolos) durante uma ou duas semanas e perceber o resultado. Se os sintomas desaparecem há extremamente eventualmente uma Deficiência de Lactase. Qual o tratamento ? O tratamento da Deficiência de Lactase deve ajustar-se a cada individuo. Precisamos ingerir uma quantidade de leite que não nos cause sintomas entretanto que nos forneça o cálcio e as proteínas de que carecemos. Diversas pessoas aturam bem um copo de leite contudo têm sintomas se beberem dois copos. Outros aturam bem meio copo de leite e não suportam um copo, outros suportam bem o queijo ou o iogurte.

Alguns produtos lácteos contêm menos lactose do que o leite de vaca comum como, por exemplo, queijos brie, camembert, roquefort, cheddar, parmesão e emmental. De toda maneira, "necessitam ser testados com cuidado", reforça Gabriela. Ademais, muçarela de búfala e o queijo de cabra contêm 2% de lactose, menos da metade do teor de um copo de leite ou iogurte. De imediato nos casos de intolerância moderada a importante, o perfeito é substituir o leite e derivados por opções como leite de aveia, amêndoas, castanhas ou arroz, e também produtos lácteos fabricados sem lactose. Quando for às compras, confira a toda a hora o rótulo! O amido é um polissacarídio constituído de amilose e amilopectina. O grânulo de amido presente no trigo poderá sofrer danos durante a moagem. O teor de amido danificado altera a absorção de água da massa e a qualidade do pão. As amilases atuam só sobre o amido danificado ou gelatinizado, ao longo do aquecimento no forno.

Presságio. Pela maioria das pessoas, a intolerância à lactose é um dificuldade permanente. Contudo pra outras crianças, poderá ser uma doença temporária que começa depois de tomar antibióticos ou depois de uma infecção gastrointestinal. Quando a doença passa, o guri pode curar-se até já por intolerância à lactose. Eu imagino de pacientes que pararam de tomar produtos lácteos totalmente, logo em seguida eles retomaram gradualmente consumir produtos lácteos, de imediato são capazes de tolerar quantidades discretas de produtos de leite. Pesquisas comprovam que 70% dos brasileiros apresentam qualquer grau de intolerância à lactose, que podes ser leve, moderado ou dramático, segundo o tipo de deficiência apresentada. Deficiência secundária - a elaboração de lactase é afetada por doenças intestinais, como diarreias, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, doença celíaca, ou alergia à proteína do leite, como por exemplo. Nesses casos, a intolerância pode ser temporária e desaparecer com o controle da doença de apoio.

Isso acontece apenas quando, junto com a redução, vier a inclusão de outros alimentos funcionais ricos em nutrientes. A indicação pra lactose não é extremamente diferente. Se a pessoa não tiver uma sensibilidade extremamente extenso ou quadro alérgico, não é preciso eliminar o leite e seus derivados por completo da alimentação. Não obstante, o exagero de protease pode acarretar certos prejuízos, como miúdo volume, textura grosseira e modificação da cor do miolo. Para que as enzimas tenham um incrível rendimento é considerável dominar os fatores que sugestionam tua atividade. Os mais interessantes são temperatura, pH e tempo. A atividade enzimática é influenciada principalmente na temperatura, pH e tempo. Pra gerar um queijo do tamanho habitual, com peso de cerca de um quilo, são utilizados em torno de nove litros de leite integral de rebanhos leiteiros selecionados. Após a ordenha, o leite é filtrado e destinado a tanques de resfriamento, resguardando e conservando suas qualidades originais. É coletado via "veículo tanque" e destinado pra indústria onde será outra vez filtrado e pasteurizado (tratamento através do calor que visa resguardar as características originais e a segurança alimentar). Todo objeto lácteo deve ser elaborado a partir de leite pasteurizado; o leite não pasteurizado, ou melhor o leite "cru" é um sério automóvel de transmissão de doenças, assim sendo não precisa ser consumido.

O corpo humano é apto de se readaptar à inexistência da enzima lactase, e, se for "acostumado" de forma gradual, o paciente podes adquirir reverter a ingerir leite sem ter sintomas graves. De imediato existem no mercado medicamentos pra repor a lactase. O paciente podes tomar a lactase (em pó, pílulas ou líquido) logo antes da refeição, permitindo uma melhor digestão dos laticínios.

Hipolactasia Primária A Lactose é o açúcar presente no leite, que quando consumido é transformado em energia (glicose) pela ação da enzima lactase-florizina hidrolase (LPH). Um - Deficiência Primária de Lactase ou Hipolactasia Primária: É o tipo de deficiência mais comum na população. Conforme o avanço da idade, há a perda pela criação da lactase. Isto ocorre graças a redução da frase do gene LCT que codifica a enzima lactase. O quadro clínico se inicia a partir dos dois ou três anos de idade. Então, surge a alergia à lactose. Diversos sequer sabem que têm alergia, pois não relacionam os sintomas a esse problema. Mesmo que possa ser árduo por ti, é interessante parar o consumo de leite. Embora ele seja uma ótima fonte de nutrientes, ele não é necessário para nossa vida e tais substâncias benéficas ao corpo são capazes de ser encontradas em outros alimentos (como brócolis, ovos, feijão, salmão e fígado). Seguindo o jeito das reações químicas, a velocidade da atividade enzimática se intensifica no momento em que se aumenta a temperatura. No entanto, a velocidade da reação se intensifica até um máximo, depois de acordada temperatura a velocidade declina mais rápido, mesmo aumentando a temperatura. Isto ocorre por que a estrutura tridimensional das enzimas se rompe, impossibilitando-a de formar o complexo enzima-substrato.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/