Comentarios de lectores/as

O Que é Lactose E Já que Ocorre A Intolerância

"João Davi Lucas Duarte" (2018-08-04)

En respuesta a Lista Completa Dos Alimentos Pela Dieta Low Carb

A intolerância à lactose é uma carência no corpo humano que pode ser controlada com dieta e remédios. O tratamento inclui a suspensão da ingestão dos derivados de leite. Com a melhoria dos sintomas, estes alimentos irão sendo incluídos gradativamente pela alimentação do paciente, até que possa ser identificada a quantidade máxima suportada pelo organismo. Essa maneira de tratamento visa manter o cálcio na alimentação, nutriente indispensável na nutrição. Aqueles que desenvolvem a intolerância à lactose conseguem possuir uma vida perfeitamente normal, desde que observem uma dieta que respeite os limites de consumo de leite que teu organismo tolera. Pode ser necessária uma diminuição da dose. Infecção com ou sem neutropenia: todos os pacientes precisam ser orientados a buscar atendimento médico prontamente depois do primeiro sinal de infecção. Insuficiência renal: a monitorização da função renal é aconselhada em pacientes com insuficiência renal. Transtornos da tiroide: recomenda-se o controle excelente das condições co-mórbidas que influenciam a função da tireoide antes do início do tratamento. No caso do pão, este fator é respeitável pois, assim sendo que o pão entra no forno, a temperatura no seu interior é menor que na parte de fora. Assim as enzimas agem no açúcar com enorme rapidez pela primeira metade do tempo de assadura. Depois de isso são destruídas. Assim como este no caso da temperatura, existe um valor para atividade fantástica o qual, depois de ele acontece um veloz decréscimo. A atividade enzimática é influenciada diretamente na ação do tempo. Quanto mais tempo a enzima estiver em contato com o substrato, mais produtos serão produzidos, no tempo em que houver substrato.

lactase enzima comprarDando perpetuidade a respeito da minha "saga" vou revelar um pouco sobre as recomendações médicas. O Lactaid é um suplemento alimentar que contém uma enorme concentração de Lactase, enzima responsável por degradar o açucar do leite e que todos a gente tem ( ou deveríamos ter ) na flora natural. A baixa concentração desta enzima ou a inexistência dela ( no meu caso ) origina diferentes graus de intolerância à lactose. Por que algumas pessoas têm intolerância à lactose? Não se compreende exatamente por que várias pessoas têm intolerância à lactose. O que se conhece é que não é um fenômeno incomum: estima-se que afete milhões de adultos só no Brasil, embora não haja números precisos. Pessoas de ascendência oriental parecem bem como ser mais propensas à intolerância, principalmente na idade adulta ou pela adolescência. A intolerância à lactose não chega a ser considerada uma doença. É trabalhoso que um fedelho nasça de imediato intolerante à lactose. Caso isto aconteça, o guri tem diarreia frequente desde que nasce, e não consegue digerir nem sequer o leite materno nem ao menos fórmulas artificiais à base de leite de vaca.

A doença celíaca ou enteropatia por glúten é uma síndrome de má-absorção causada por danos ao vilos e microvilos intestinais decorrentes da hipersensibilidade ao glúten. Os vilos danificados assumem uma arquitetura anormal, levando à má-absorção. A primeira explicação desta doença data de 1888 por Samuel Gee, que a denominou de mal celíaco (celiac affliction). Outras denominações pra doença celíaca são, esteatorréia idiopática e espru. A doença celíaca é uma doença intestinal causada por alterações imunológicas, que acontece em pessoas geneticamente predispostas. Tua incidência é de 0,5% a 1,0% da população geral. As lesões intestinais causadas pelo glúten (proteína presente no trigo) surgem com a ingestão de alimentos contendo essa proteína. Acontece distúrbios da maturação das células epiteliais dos vilos, inflamação da mucosa do intestino delgado e perda de vilos em graus variados, processos cujo efeito conclusão é uma mucosa de semblante atrófico.

Recém lançada pelo Laboratório Apsen, a enzima digestiva LACTASE, neste instante está disponível no Brasil àqueles pacientes portadores de Intolerância à Lactose. A Intolerância à Lactose caracteriza-se pela incapacidade ( parcial ou total ) do cidadão em digerir a lactose ( açúcar do leite ) em consequência a deficiência ou carência da enzima intestinal chamada lactase. Esta afecção gera transtornos gastrointestinais e sistêmicos que limitam e reduzem de sobremaneira a característica de existência destes pacientes. Uma vez diagnosticada e quantificada, o tratamento desta deficiência enzimática a todo o momento implica numa redução ou restrição do consumo de leite e derivados a fim de se reduzir os sintomas. Para quem não quer abrir mão dos alimentos lácteos, a opção consiste em ingerir alimentos funcionais com nanico teor ou zero de lactose (leites, queijos, iogurtes) ou fazer emprego de suplementação enzimática.

Assim, a estrutura do catalisador deve auxiliar o conjunto de interações que permitem a ligação do substrato mostrando grupos químicos capazes de interagir entre si formando, transitoriamente, um COMPLEXO ENZIMA-SUBSTRATO. O substrato liga-se à enzima através do sítio esperto, recinto onde ocorrerá a reação catalisada na enzima. Esta é, sendo assim, a região da enzima que contém resíduos de aminoácidos capazes de interagir com o substrato. É nesse sítio, bem como, que estão os resíduos de aminoácidos que diretamente participam da ruptura e estabelecimento de ligações químicas que resultam na criação do artefato. Estes resíduos denominam-se GRUPOS CATALÍTICOS. Eu não imagino se você domina, entretanto grande quota dos trabalhadores da indústria de alimentos são bactérias e fungos que fabricam enzimas de todo tipo. Geralmente, fora do Brasil. A lactase utilizada na indústria de leite brasileira vem principalmente da Holanda. No entanto assim como há corporações chinesas aproveitando este filão. Toda enzima é uma proteína, e as proteínas funcionam melhor a certas temperaturas.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/