Comentarios de lectores/as

Chocolate Sem Lactose: 10 Chocolates Sem Lactose

Alícia Fernandes (2018-08-04)

En respuesta a Em torno de 40 por cento Da População Brasileira Têm Intolerância à Lactose

suplementos alimentaresComo as enzimas atuam no duodeno e no intestino delgado ? O quimo recebido do estômago é misturado ao suco pancreático e intestinal (com enzimas proteolíticas) e à bílis, que são lançados no duodeno a começar por canais. O suco pancreático tem inúmeras enzimas, entre as quais a tripsina (transforma proteínas em amino-ácidos), a amilase (transforma amido e dextrina em maltose), a maltase (transforma maltose em glicose) e a lipase pancreática (transforma gordura em ácidos graxos e glicerina).

Os sintomas conseguem ser dor abdominal, estufamento abdominal, gás, diarréia e náuseas. Os sintomas de intolerância à lactose são capazes de ser manejados com modificações dietéticas. Obter cálcio e vitamina D suficientes é uma tristeza das pessoas com intolerância à lactos no momento em que a ingesta de leite e derivados é limitada. Vários alimentos conseguem fornecer o cálcio e outros nutrientes que o corpo humano tem que. Conversando com o seu médico ou nutricionista poderá ser benéfico pra planejar uma dieta balanceada que oferece uma quantidade adequada de nutrientes - incluindo cálcio e vitamina D - e minimiza o desconforto. Um profissonal da saúde podes determinar se o cálcio e outros suplementos alimentares dietéticos são necessários. Leite e derivados são frequentemente adicionados a alimentos. Para as pessoas que não entende, a intolerância à lactose consiste numa incapacidade de digerir produtos lácteos como leite, queijo, manteiga, etc., e está ainda mais presente pela nossa comunidade. No Brasil, 43% dos brancos e dos mulatos têm alelo de persistência da lactase, isto é, são geneticamente predispostos a ter intolerância à lactose, dado mais constante entre os negros e japoneses. Todavia, em tal grau quanto 70% dos adultos brasileiros poderá ter algum grau de intolerância a lactose, o que significa que ainda são capazes de consumir laticínios, porém terão qualquer sintoma leve. Em países asiáticos, cerca de noventa por cento da população chega a ter problemas com a lactase em um grau. Esses números parecem altos, entretanto a explicação é descomplicado. A intensidade desses sintomas varia dependendo da quantidade de lactose ingerida, e pode acrescentar com o passar da idade. Segundo Ricardo Barbuti, gastroenterologista membro da Federação Brasileira de Gastroenterologia, todo mundo que tem geneticamente a intolerância tem uma má absorção de lactose, entretanto isso não circunstância sintomas a toda a hora.

Há alguns anos atrás a enzima lactase era difícil de ser comprada no Brasil. Felizmente hoje temos inúmeras opções produzidas por laboratórios nacionais, acessíveis em pó, para serem misturadas aos alimentos, ou em comprimidos. Esta mesma enzima bem como é fabricada em escala industrial e muito usada na indústria de laticínios pra realização de alimentos deslactosados.

Mais ainda, há provas de que o pâncreas humano é um dos mais pesados no reino animal, tendo em conta o peso corporal. Este aumento de volume do pâncreas humano é tão nocivo - por ventura ainda mais - do que o acrescento de volume do coração, da tiróide etc.. A elaboração exagerada de enzimas é uma adaptação patológica a uma dieta de comida sem enzimas. O pâncreas não é a única parcela que produz exageradamente enzimas no momento em que a alimentação é cozida. Por adição, existem as glândulas salivares, que produzem enzimas num grau nunca visto nos animais selvagens com a tua alimentação natural. Concretamente, alguns animais em uma dieta crua não tem qualquer tipo de enzimas em sua saliva. No RJ tem um laboratório que faz diagnóstico pra IgG e IgE para noventa e duzentos alimentos. Alergia a pimenta não é comum como a outros alimentos (leite, trigo, açúcar, oleaginosas, etc.), mas poderá suceder sim. Neste momento vi pacientes com alergia a alho e cebola, a título de exemplo, e até mamão e chuchu… As alergias alimentares por IgG (que são oitenta por cento dos casos) podem oferecer sintomas até quatro dias após ter sido consumido o alimento. Dr. Paulo, Estou há aproximadamente 1 mês com urticárias e apesar da medicação e controle alimentar nada escolhe. Fiz o teste IgE e nenhum resultado positivo para ovo, cacau e leite de vaca. Sinto além das urticárias o meus estômago e gazrganta como se estivesse borbulhando.

No momento em que passam a consumir leite ou alguns lácteos, não terão condições de digerir a lactose e poderão apresentar os sintomas de intolerância. Caso estes indivíduos façam o teste de intolerância a lactose vão exibir repercussão afirmativo. Enorme parte da população acima dos cinco anos expõe deficiência da enzima lactase, mas diversos não apresentam os seus sintomas, o que dificulta o estabelecimento de um diagnóstico preciso. Pesquisas declaram que por volta de 70% da população adulta apresentam a intolerância à lactose. Cada reação contrário ao consumo destes produtos precisa ser imediatamente informada a um profissional médico ou nutricionista, para que seja providenciado um diagnóstico adequado. Nos casos em que a alergia é identificada, faz-se necessária a exclusão de todos os alimentos que contenham proteínas do leite de vaca, durante o tempo que para os intolerantes, não há indispensabilidade de exclusão obrigatória e total do leite e seus derivados. A visão, o cheiro e o sabor dos alimentos provocam uma reação do sistema nervoso que envia impulsos às células da parede do estômago para que esse secrete o suco gástrico. Ação do suco gástrico que contém basicamente água, ácido clorídrico e enzimas. A pepsina provoca o rompimento das ligações peptídicas entre os aminoácidos das proteínas, quebrando-as em peptídeos.

Respuestas

Notícias, Histórias, Sugestões E Destaques

Alícia Fernandes (2018-08-07)

remedio para lactosePorém também tem a versão brasileira dele, pouco mais fraca porém igualmente competente, o Luftal Max! Sei que o diagnóstico da intolerância vem como uma bomba para as pessoas que não imagina... Leer más



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/