Comentarios de lectores/as

Intolerância à Lactose Ou Alergia à Proteína Do Leite?

Alícia Fernandes (2018-08-03)

En respuesta a Gastroenterologia Pediátrica E Nutrição: Intolerância à Lactose: Mitos E Realidade (quatro)

suplementos alimentaresA deficiência de lactase poderá ser primária, ou seja, o cidadão imediatamente nasce com propensão a tê-la; ou secundária, quando a intolerância à lactose é adquirida ao longo da vida, em consequência a um problema intestinal. A quantidade de lactase produzida no intestino delgado costuma ser elevada ao longo dos primeiros anos de vida, contudo vai reduzindo-se conforme a dieta se torna mais variada, menos dependente de leite e derivados. Em algumas etnias, como os asiáticos, uma leve a moderada intolerância à lactose costuma aparecer a partir dos cinco anos de idade. Em afrodescendentes e latinos, a redução nos níveis de lactase costuma surgir em volta dos dez anos. O diagnóstico da intolerância à lactose é geralmente feito clinicamente, fundado apenas na história clínica e nos sintomas do paciente. Duvidosamente são necessários exames laboratoriais. Em geral, eliminamos somente pequenas quantidades de hidrogênio pelos pulmões. De imediato os pacientes com intolerância à lactose produzem grandes quantidades de hidrogênio no cólon, sendo porção deste gás reabsorvido para o sangue e eliminado pelos pulmões através da respiração. Este teste, dessa forma, consiste na procura de hidrogênio no ar expirado depois do consumo de lactose. Depois da ingestão de lactose, medimos a glicose no sangue pra saber se houve elevação dos seus níveis. Em pessoas sadias, a lactose é quebrada em glicose e galactose, sendo reabsorvida pelo intestino e lançada na corrente sanguínea. Nos pacientes com deficiência de comprar deslac lactase, a lactose não é digerida e a glicose contida nela não é absorvida.

Seja uma intolerância passageira, definitiva ou uma alergia, o evento é que quem tem estes problemas terá de, invariavelmente, alterar seu cardápio. Não existe cura nem remédio pra doença celíaca e a única forma de conviver com ela é riscando em definitivo do cardápio alimentos que contenham glúten. No caso da intolerância à lactose, a retirada ou diminuição do leite e derivados do cardápio vai precisar de cada caso. No Brasil, a lactase é encontrada só nas farmácias de manipulação, pois, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a enzima lactase é um medicamento de origem biológica. Em outros países, porém, a enzima é considerada alimento e tem venda liberada em farmácias e supermercados. Segundo a agência reguladora, ainda não há, no nação, interesse das empresas em criar o objeto para vendas nas farmácias. Outra alternativa para não passar mal ao comer derivados de leite são os probióticos, "as bactérias do bem", que quando tomadas continuamente podem aprimorar a digestão da lactose. Estes recursos são essencialmente essenciais pra mulheres que de imediato passaram pelo tempo da menopausa e precisam ingerir derivados do leite para absorverem cálcio.

Intolerância à lactose é a incapacidade total ou parcial pra digerir a lactose, um açúcar localizado no leite e derivados. Ela é causada por uma deficiência da enzima lactase, a qual é produzida pelas células superficiais do intestino delgado. Nem todas as pessoas com deficiência de lactase têm sintomas digestivos, mas aqueles que os sentem conseguem ter a intolerância à lactose. A maioria das pessoas com intolerância à lactose podem tolerar alguma quantidade de lactose na sua dieta. As pessoas com intolerância à lactose podem notar incômodo após ingerir leite e derivados. Ainda, a presença adicional de Goma Guar aumentou a firmeza da enzima durante armazenamento a 4°C e no tratamento de congelamento seguido de degelo. Em todos os casos, a análise da microestrutura das gotas foi feita na Linha de Luz SAXS2, de Espalhamento de Raios X a Baixos Ângulos, do LNLS. Fonte: Maria Victoria Traffano Schiffo, Tatiana Rocío Aguirre Calvo, Marta Castro-Giraldez, Pedro Jose Fito, and Patricio R. Santagapita, Alginate beads containing lactase: stability and microstructure.

A esse respeito, analise as assertivas e marque as corretas. I. A hipófise tem origem embrionária dupla: uma quota tem origem nervosa (hipófise posterior) e outra ectodérmica (hipófise anterior) e oferece um íntimo relacionamento com o hipotálamo. II. A medula da glândula suprarrenal tem origem no neuroectoderma e esta mostra neurônios pósganglioanares simpáticos e produzem as catecolaminas. III. Em casos de queda da pressão nas artérias, a ativação do sistema renina-angiotensina estimula a liberação de aldosterona pelo córtex da suprarrenal e desta forma promove a reabsorção de sódio nos túbulos renais. IV. O pâncreas é uma glândula mista, secretando hormônios que são lançados diretamente pela corrente circulatória e no suco pancreático que percorre um trajeto até desembocar no duodeno. No universo da alimentação saudável, o glúten e a lactose são os vilões da vez. A maioria das pessoas que decide por uma rotina sem os 2 ingredientes garante que conseguiu restringir medidas, sentiu-se menos inchada e com intestino funcionando melhor. Logo, é verdade que a "dieta" funciona? O glúten é uma proteína presente no trigo, centeio, cevada, malte. Nas receitas, ele é o responsável por ceder elasticidade às massas.

Respuestas

Para Que As Ruas Salvem

Alícia Fernandes (2018-08-03)

Lipase: Ela coopera pela transformação de lipídeos, oferece suporte à catalisação e reações químicas. Ela é produzida pelo pâncreas e podes estar presente pela quota inicial do intestino, ou... Leer más

Comunidade Virtual Doenças Inflamatórias Intestinais (DII)

Alícia Fernandes (2018-09-16)

remedio para quem tem intolerância a lactoseO kefir transforma a flora intestinal putrefativa, substituindo-a pelos bacilos lácticos de propriedades anti-sépticas. Assim como produz a secreção de uma substância antipútrida que persiste... Leer más



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/