Comentarios de lectores/as

INTOLERÂNCIA À LACTOSE - Sintomas E Tratamento

Alícia Fernandes (2018-08-03)


alimentos funcionaisA intolerância à lactose ocorre no momento em que o menino não retém um gene que regula a elaboração da enzima lactase (no intestino delgado), responsável pela quebra e consequente acessível digestão da lactose no intestino. A lactose é uma espécie de açúcar encontrado no leite. O defeito podes ainda ser chamado de alergia ao leite ou deficiência de lactase. Cremes não laticínios (cheque o rótulo)

Podemos manifestar que a lactase é a melhor possibilidade para um agradável grupo de pacientes com intolerância a lactose. Cada pessoa, de cada idade, que sofra de intolerância à lactose podes se favorecer com a lactase. Forma diferente de aliviar os sintomas da intolerância é consumir leite com baixa lactose ou que tenha a lactase adicionada ao próprio leite.

De acordo com Barbuti, as pessoas estão tendo mais acesso ao diagnóstico de intolerância à lactose. Ele conta que existe ainda um teste genético, em que os genes do paciente são estudados pra saber se existe carga pra intolerância, mas esse diagnóstico está disponível em pouquíssimos lugares no Brasil. Depois da digestão, no duodeno, os alimentos formam um líquido leitoso chamado quilo, que é absorvido pelo sangue e na linfa contida nas vilosidades intestinais do jejunoíleo. Por meio do sangue e da linfa, o alimento, depois de transformados, é conduzido para todas as células do corpo. Não é verdade que a absorção dos nutrientes acontece somente no duodeno.

As vacas e as ovelhas produzem torrentes de saliva sem enzimas. Os cães, por exemplo, também não segregam enzimas na sua saliva quando comem comida crua. Mas, se lhe começar a alimentá-los com amidos cozidos, as tuas glândulas salivares começarão a fornecer amido-enzimas digestivos ao fim de 10 dias. No Brasil, cerca de 25% das pessoas tem algum grau de deficit ligado à enzima. Entre refluxos e indisposições intestinais, um médico encontrou três úlceras no esôfago de Madureira, quinta formação de uma família de produtores de queijo. O leite era o provável culpado. Por quatro anos, o consumo de laticínios parou.

Ou ela poderia ter problema somente com um ou 2 desses alimentos em típico? No caso da intolerância alimentar à batata-inglesa, isto se precisa a qual substância presente nela? Você poderia me indicar um médico ou clínica que trabalha com o Vegatest em Porto Feliz? Pesquisei extremamente e não achei! Com a introdução em 1878, por Kühne, do termo enzyme pros fermentos solúveis, a Nomenclatura Internacional de Química passou a usar-se deste novo termo para indicar, de forma genérica, todos os biocatalisadores. A diástase, primitivamente descrita por Kirchhoff, passou a chamar-se amilase, indicando-se, com o novo nome, o substrato sobre o qual atua a enzima e aproveitando-se do sufixo -ase da denominação anterior. As demais enzimas, descobertas logo em seguida, receberam, de forma análogo, a denominação do substrato, seguido da terminação -ase, que passou a assinalar enzima. Diástase é expressão proparoxítona em virtude da quantidade do sufixo -asis em grego e em latim. Por esta desculpa pretende-tornar-se esdrúxulas todas as palavras algumas com o sufixo -ase, criadas pra nomear enzimas.

Os sintomas mais comuns são náusea, dores abdominais, diarréia ácida e abundante, gases e desconforto. A severidade dos sintomas depende da quantidade consumida e da quantidade de lactose que cada pessoa podes tolerar. Em diversos casos pode acontecer somente agonia e/ou distensão abdominal, sem diarréia. Os sintomas conseguem transportar de alguns minutos até várias horas para aparecer. A redução da presença da lactase no corpo poderá ser leve, moderada e dramático - níveis que condicionam os sintomas manifestados em cada pessoa caso a lactose seja consumida (mais leves, mais moderados ou mais intensos). Intolerantes à lactose podem beber leite? O intolerante à lactose podes consumir produtos derivados do leite e a própria bebida. Neste momento a pessoa que é alérgica à proteína presente no leite de vaca não pode ingerir nenhum alimento com leite. Mas, nem sequer todos são intolerantes à lactose, visto que esse agravo depende assim como de fatores genéticos e nutricionais. A intolerância à lactose podes ainda ser secundária, quer dizer, decorrente de um problema pela parede intestinal, a título de exemplo, a diarreia infecciosa ou o exercício prolongado de antibióticos e até já a desnutrição.

É inestimável a quantidade de decorrências graves pra consumidores, entre problemas novos, agravamentos e talvez até morte inexplicada. Está criada uma operação especial do Ministério Público estadual, no entanto é pouco pra dimensão agora constatada do suplementos alimentares crime de intermediários de leite pras usinas (fábricas e marcas). Os ministérios da Agricultura e da Saúde estão devendo sua entrada na operação, pra intensificá-la. Ao inserir estes alimentos à sua alimentação, você poderá reconhecer o descongestionamento das vias biliares e pancreáticas. Coma mais beterrabas e verduras cruas, já que é dito que o recurso de cozimento assegura a redução das enzimas digestivas contidas nos alimentos. Os alimentos verdes devem ser adicionados, já que a celulose contida nesses alimentos podes incorporar-se à bile, e desse modo auxiliar a uma melhor digestão. Os pacientes percebem aumento de ruídos abdominais, notam que a barriga fica inchada e que cortam mais gases. Quando a dose de leite ou derivados é superior surge diarréia líquida, acompanhada de cólicas. A queixa de ardência anal e assadura é em razão de a acidez fecal passa a ser intensa (pH seis,0). A maioria dos pacientes que só tem intolerância a lactose, não tem evidências de desnutrição, nem sequer mesmo superior perda de gordura. No momento em que isto ocorre, poderá haver a associação da intolerância com algumas doenças gastro-intestinais.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/