Comentarios de lectores/as

Lactose - Calculadora De Intolerância

Alícia Fernandes (2018-07-31)


alimentos funcionaisDevido a essa deficiência, a lactose não digerida continua dentro do intestino e chega ao intestino grosso, onde é fermentada por bactérias, produzindo ácido láctico e gases (gás carbônico e o hidrogênio). A presença de lactose e destes compostos nas fezes no intestino grosso aumenta a pressão osmótica (retenção de água no intestino), causando diarréia ácida e gasosa, flatulência excessiva (exagero de gases), cólicas e acrescento do volume abdominal. Diarreia ou constipação - às vezes alternando crises entre os 2 problemas

Os queijos frescos também passam por essa fermentação, entretanto, poderá-se encontrar neles, resíduos de lactose ainda não fermentada. "A partir do momento em que determinados queijos vão maturando, essa lactose vai desaparecendo, como é o caso de queijo parmesão e outros que são consumidos após quinze a 20 dias após a fabricação. Nos produtos em que não há fermentação, como adocicado de leite, leite condensado e sorvete, mesmo que o produto atinja tua validade, ainda tem lactose e poderá expor dificuldades aos intolerantes", salienta. Uma das principais diferenças entre o leite sem lactose e o comum está no sabor. Isso ocorre no momento em que a enzima lactase, causador da quebra da lactose, está ausente ou deficiente no corpo. No momento em que isso ocorre, a lactose não consegue ser digerida, causando uma série de complicações e sintomas. A digestão deste açúcar acontece no intestino delgado, contudo, na carência ou deficiência da enzima, a lactose chega intacta ao intestino e acaba servindo de alimento para as bactérias ali presentes. Dentre os sintomas mais comuns estão: dores e desconfortos abdominais, diarreias, náuseas, inchaço, gases e cólicas.

Chocolate: A maioria das mães são capazes de ingerir chocolate sem exageros, no entanto devem a toda a hora ficar atentas pra possíveis efeitos negativos no posicionamento do menino. O chocolate contém teobromina, substância que podes causar irritabilidade e diarreia no pirralho se quantidades elevadas forem consumidas na mãe. Cafés, chás e refrigerantes: O café, chás, mate e refrigerante tipo cola em quantidade excessiva são capazes de causar irritabilidade e padrão deficiente de sono. A intolerância à lactose é a doença bem comum, provocada na incapacidade de digerir lactose, um açúcar localizado no leite e nos laticínios. A ausência da lactase, enzima que digere a lactose, leva ao aparecimento de sintomas gastrointestinais sempre que um produto à base de leite é consumido. A intolerância à lactose não costuma ser uma doença sério, porém os seus sintomas podem ser muito incômodos. O que é intolerância à lactose. Quais são as causas de deficiência de lactase. Quais são os sintomas. Como é feito o diagnóstico.

Perda enzimática secundária a doenças intestinais: deficiência temporária da medicamento enzima lactase, associada à morte de células intestinais. Essa deficiência acontece de maneira temporária até que essas células sejam recompostas. Deficiência primária: é a mais comum entre a população e acontece na redução natural da realização da enzima lactase com o decorrer dos anos. A meio ambiente não quer que a semente germine prematuramente e perca sua vitalidade. Quer sim que as sementes germinem num solo suficientemente úmido pra poderem crescer e continuar a espécie. Dessa forma, quando se comem sementes cruas ou nozes cruas, estamos a ingerir os inibidores de enzimas que neutralizam alguns dos enzimas que o corpo produz. Na realidade ingerir alimentos com inibidores de enzimas provoca um inchaço do pâncreas.

Segundo pesquisas, em torno de setenta por cento dos brasileiros apresentam um grau de intolerância à lactose, podendo ser leve, moderada ou crítico. Deficiência congênita: é um defeito genético, isto é, a pessoa prontamente nasce com essa circunstância. Deficiência primária: ocorre uma perda natural e progressiva na elaboração de lactase. Normalmente acontece por meio da adolescência até o término da existência. Deficiência secundária: ocorre quando a criação de lactase é afetada por doenças intestinais: diarreias, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, doença celíaca entre outros. Nesses casos, a intolerância à lactose pode ser temporária. Os sintomas da intolerância se concentram principalmente no sistema digestório e melhoram com a interrupção do consumo de leite e seus derivados. É interessante ressaltar que a intolerância à lactose não é uma doença, no entanto sim uma carência do corpo que podes ser tratada através da alimentação e medicamentos. O mais indicado no caso de intolerância à lactose é a diminuição do consumo de leite e seus derivados pra alavancar o alívio dos sintomas. Após essa exclusão, é primordial que esses alimentos sejam reintroduzidos aos poucos para que se possa reconhecer a quantidade que o corpo humano suporta sem que os sintomas se manifestem. Claro, todo este recurso tem que ser acompanhado por um médico.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/