Comentarios de lectores/as

Comunidade Virtual Doenças Inflamatórias Intestinais (DII)

Alícia Fernandes (2018-07-26)


Os caucasianos do Norte da Europa são em geral pouco afetados na intolerância à lactose, em virtude de mutações genéticas que possibilitam a produção de láctase durante toda a vida. Alguém saudável utiliza a lactose como referência de energia. Para reunir, o organismo precisa quebrar, no intestino delgado, a lactose em glicose e galactose na enzima lactase ou beta-galactosidase. Esta actividade da lactase é elevada ao nascimento e elimina gradualmente com a idade. Porém, a taxa mínima adequada pra digerir o açúcar do leite consumido é preservada. A criação insuficiente (hipolactasia) ou inexistência (alactasia) desta enzima no intestino delgado é referência de intolerância à lactose. Assim, há uma certa quantidade de lactose não degradada convertida em gás e ácido pelas bactérias que vivem no cólon. No intestino superior do adulto predominam os lactobacilos, mas no ilíeo inferior e o ceco, a flora é fecal. As bactérias intestinais são fundamentais na síntese das vitaminas B e K, na conversão de pigmentos e ácidos biliares, pela absorção de nutrientes e no controle dos microorganismos patógenos (cada corpo humano vivo qualificado de causar doença).

comprar enzima lactaseEstes casos são principlamente frequentes entre asiáticos e habitantes do leste africano. Para digerir a lactose existente no leite, o organismo depende da presença de uma enzima, a lactase, perante a ação da qual a lactose é quebrada em açúcares de moléculas menores. Durante a fase de amamentação, todos os bebês produzem lactase em quantidades adequadas, prática que será perdida pelos que se tornarão intolerantes ao leite no futuro. Quem está entre vinte e cinco e 30 é visto como acima do peso. Agora aqueles que ultrapassam os trinta são os obesos. Porém, há quem defenda que essa quantidade é antiga e imprecisa - não leva em conta, por exemplo, percentual de gordura no corpo humano - e nem sempre um miúdo IMC significa estar livre de problemas de saúde.

A principal razão, conforme explica o endocrinologista, é a tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune e crônica. Os sintomas envolvem ganho de peso, intolerância ao frio, queda de cabelo, retenção de líquido, constipação, unhas quebradiças, sonolência e cansaço. A doença é controlável com medicamentos de reposição hormonal. — Com isso, a glicemia tem uma disparada súbita e é preciso começar o exercício da aplicação de insulina na estrada subcutânea. Na superfície mucosa do intestino delgado há células que produzem, estocam e liberam uma enzima digestiva (lactase), responsável pela digestão da lactose. Quando esta é mal absorvida sofre ação da flora intestinal, produzindo gases e ácidos orgânicos, o que resulta pela por isso chamada diarreia osmótica, com enorme perda intestinal dos líquidos orgânicos. Em qualquer época da existência podes aparecer esta incapacidade, igualmente, o problema pode advir de lesões intestinais crônicas como nas doenças de Crohn, retocolite ulcerativa, e algumas. Os sintomas são variáveis de pessoa a pessoa e segundo a quantidade consumida. Ardência anal e assadura (devido acidez fecal intensa).

A primeira decisão da potência-tarefa composta para esvaziar tal agressividade é um começo inteligente e promissor: o Pronto Atendimento Judicial, ativado a cada acesso da ferocidade para o pronto exame de prisões, exageros e queixas. A participação judicial imediata só necessita de, para não fornecer também um efeito negativo, que tua organização pelos Tribunais de Justiça estaduais impeça, com métodos hábeis de ação, aterrorizar as polícias muito mais do que ao "black bloc".

O Que é a Suplementação de Lactase? No momento em que a lactase não é produzida em uma quantidade bastante pra poder suprir a necessidades do corpo, sendo assim levando ao quadro de intolerância à lactose, é possível fazer a suplementação desta enzima. A lactase podes ser encontrada em maneira de comprimidos, pastilhas mastigáveis, em pó e bem como cápsulas, muito fáceis de serem ingeridas. Para ser absorvida, a lactose precisa de ser hidrolizada no intestino por uma enzima específica - a lactase. Esta hidrólise não é mais do que a separação da lactase em componentes mais menores: a glicose e a galactose. Esses são absorvidos diretamente para a corrente sanguínea e desempenham papéis distintos no corpo humano: a glicose é utilizada como referência de energia e a galactose torna-se um componente de glicolípidos e glicoproteínas.

A lactose é o principal carboidrato presente no leite. Para ser digerida e absorvida pelo corpo humano, ela precisa ser quebrada em seus constituintes: glicose e galactose. A quebra é catalisada por uma enzima chamada lactase, produzida principlamente pra digestão do leite materno no intestino delgado de mamíferos jovens. A geração dessa enzima elimina com o ir do tempo, tornando o organismo progressivamente incapaz de digerir a lactose. Desta forma, apesar do costume social de se consumir leite de outros animais e seus derivados após a infância, cerca de 65 por cento da população mundial fornece algum grau de intolerância à lactose.

Respuestas

Intolerância à Lactose Podes Surgir Em Qualquer Idade. Saiba Como Reconhecer A dificuldade

Alícia Fernandes (2018-10-29)

... Leer más



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/