Comentarios de lectores/as

O Que É, Com que objetivo serve, Funciona, Efeitos, Suplemento

Pedro Benício Martins (2018-07-18)


enzima lactase comprarContudo eu tinha outra: por que antes os leites tinham 90% menos lactose, e neste instante tudo que eu encontro no supermercado são leites zero lactose? Segundo o engenheiro químico Jaime Dietrich, da Globalfoods (distribuidora de lactase holandesa, além de outros mais insumos da indústria de alimentos), era perfeitamente possível os laticínios terem feito leites zero lactose desde o começo. Entretanto, quem sabe, num primeiro momento, com o objetivo de não ter de aguardar mais que 30 horas, a pioneira por este mercado tenha decidido parar nos 90%. E a concorrência foi atrás.

Nos dias de hoje muito se tem debatido a respeito de e assim como vários equívocos são cometidos. A intolerância à lactose acontece em pessoas que não produzem ou produzem pequena quantidade da enzima lactase. A alergia à proteína do leite afeta o sistema imunológico. A lactose é um carboidrato, conhecido como açúcar do leite. A lactase é a enzima que tem a atividade de hidrolisar (quebrar) a lactose, facilitando a tua digestão e absorção pelo intestino. A lactose está presente naturalmente em todos os leites de origem animal. Até mesmo o leite materno tem lactose. Quando a lactose não é digerida e absorvida ela é fermentada pelas bactérias intestinais causando não só diarreia, mas assim como desconforto por distensão abdominal, gases, cólicas e má digestão. Mesmo que muito rara, a intolerância congênita pode apresentar-se no fedelho e mostrar sintomas agora nas primeiras mamadas.

Os estudos com aditivos suplementos alimentares ao longo da amamentação ainda são escassos. Todavia domina-se que corante artificial tartrazina (FD&C), sulfitos e glutamato monossódico são causadores de reações alérgicas. A tartrazina pode ser encontrada em produtos industrializados como sucos, gelatinas e balas sempre que o glutamato monossódico poderá estar presente nos produtos salgados como temperos industrializados. Neste instante os sulfitos são usados como preservativos em alimentos como frutas desidratadas, vinhos e sucos industrializados. As enzimas da saliva, suco gástrico e pancreático cortam e são raras. Durante o jejum, as enzimas do corpo estão livres para o trabalho de reparação e remoção de tecidos doentes. "Disse. Nos países considerados civilizados comem-se tamanhas quantidades de comida cozida que o sistema enzimático fica ocupado apenas a digerir comida. Soma-se a isso a desorganização que existe entre as alergias e as intolerâncias alimentares. As alergias imediatas são menos difíceis de serem descobertas por causa de aparecem nos exames laboratoriais. Além disso, os sintomas são intensos e surgem logo depois do contato com o alimento que as provocou, entretanto, são a minoria dos casos de alergia.

Quando essas enzimas digestivas não são responsáveis na digestão desses nutrientes, elas auxiliam na sintetização. Amilase ou Ptialina: Essa enzima digestiva colabora pela digestão de glicogênio e de amido. Ela poderá ser encontrada pela própria saliva e contribui pela decomposição de carboidratos. Ela é produzida pelas glândulas salivares e poderá cooperar na cautela de cáries dentárias. É exatamente portanto que produzimos muita saliva, é uma maneira de impedir o surgimento das indesejáveis cáries.

As opções de receitas sem glúten e sem lactose não têm se popularizado à toa. "A doença celíaca, distúrbio autoimune inflamatório do intestino delgado, é um dos motivos que levam as pessoas a não consumirem mais a proteína do trigo. Neste momento a intolerância à lactose é um problema digestivo causado na incapacidade de gerar uma quantidade bastante da enzima lactase, necessária pra digerir o carboidrato", explica a chef e nutricionista Gabi Rabelo, do Namu Cursos. A intolerância à lactose é mais comum nas populações asiática, africana, nativa norte-americana e nas populações mediterrâneas do que entre a população do norte e oeste europeu. A intolerância à lactose é extremamente comum em adultos e não é perigosa. Outras dificuldades intestinais, como a síndrome do intestino irritável, são capazes de causar os mesmos sintomas da intolerância à lactose. A lactase é o nome usualmente utilizado para denominar a enzima β-D-galactosidase galactohidrolase. É classificada como uma hidrolase e catalisa, entre novas, a reação de hidrólise da lactose à β-D-galactose e α-D-glicose. A molécula da lactose é complexa além da conta para atravessar a parede do intestino, precisa sofrer a ação da enzima lactase pra ser decomposta em glicose e galactose.

Esse problema surge quando o corpo não produz ou produz em quantidade insuficiente as enzimas digestivas chamadas lactase, responsáveis por quebrarem o açúcar do leite. No momento em que não acontece este quebra, o açúcar do leite chega ao intestino grosso inalterado, se acumulando e sendo fermentado por bactérias que produzem ácido lático e gases. Como consequência, a pessoa exibe quadros de retenção de líquido, diarreias e cólicas. Quais os Tipos de Intolerância à Lactose? Várias pessoas são capazes de suportar de 120 a 240 ml por dia, se ingerirem alimentos com lactose ao longo das refeições. Esta combinação favorece a chegada gradual da lactose ao jejuno (porção média do intestino delgado) pra ser digerida. Há pessoas, porém, cujo grau de intolerância é tal que precisam de uma dieta sem nada de lactose. Desta maneira, é preciso examinar cuidadosamente os rótulos de pães, bolos, biscoitos, margarinas e outros alimentos industrializados antes de consumi-los.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/