Comentarios de lectores/as

Chocolate Sem Lactose: Dez Chocolates Sem Lactose

Alícia Fernandes (2018-07-12)


Deixe a biomassa de banana verde para preparações que necessitam ser feitas no forno ou no fogão (aquecidas), como estrogonofe, panquecas, pães, bolos, além de outros mais. ➡ Baixe o eBook e saiba mais sobre os proveitos da biomassa de banana verde e como prepará-la em residência! Clique na imagem abaixo! Todas as folhas podem ser consumidas em abundância e sem restrições: alface, acelga, rúcula, couve, mostarda, agrião, espinafre, endívia, entre algumas. São nutritivas e recheadas de fibras, fornecendo saciedade. A falta da lactase pode ter numerosos motivos, podendo ser desde um erro na geração da enzima ou até uma deficiência do tipo adulto. Estima-se que 70% da população mundial tenham um correto grau de deficiência da lactase, sendo que a concentração dessa enzima elimina muito a partir dos cinco anos de idade.

alimentos funcionaisDuvidosamente, a intolerância à lactose pode de imediato estar presente nos primeiros meses de vida, em consequência a um erro genético que faz com que o paciente não produza quantidade alguma de lactase. O bebê é intolerante ao leite materno, que naturalmente costuma ter mais lactose que o leite de vaca, e necessita ser alimentado com fórmulas especiais sem lactose. O diagnóstico é feito por análise dos sintomas após a ingestão de leite ou derivados. O médico por requerer alguns exames como teste do hidrogênio expirado, endoscopia, exames de fezes, dentre outros. A perda excessiva de água pela diarreia é uma das complicações. A pouca ingestão de cálcio e proteínas poderá resultar em problemas ósseos. O tratamento é normalmente feito com modificação da dieta alimentar, substituindo produtos lácteos por outros alimentos com teor grande de cálcio, proteínas e minerais. O médico pode bem como assinalar a tomada de lactase, enzima lactase comprar que digere a lactose. Se você detém intolerância à lactose, certifique-se que os alimentos que você ingere têm baixo teor de lactose. Substitua por produtos ricos em proteínas e minerais, e consulte o seu médico caso queira e mais dicas. A intolerância à lactose é uma dificuldade para digerir a lactose devido à insuficiência ou carência de uma enzima digestiva: a lactase, também conhecida como beta-D-galactopiranosil (1 → quatro) D-glucopiranose.

O que é a enzima lactase? Existem várias enzimas no nosso corpo com a atividade de quebrar moléculas e colaborar no método digestivo. A lactase é a enzima responsável pela hidrólise da lactose (quebra da lactose em galactose e glucose). É precisamente a deficiência na geração dessa enzima pelo nosso corpo a causa principal da intolerância à lactose. Quando a lactose chega ao intestino e não sofre ação das enzimas, acaba fermentada por bactérias presentes no lugar. A fermentação produz ácido láctico e gases, que são capazes de desencadear distensão abdominal e flatulência. A lactose não quebrada se intensifica a atração de água e eletrólitos para a mucosa do intestino, provocando diarreia.

Essa situação é conhecida como herança autossômica recessiva e é passada de criação em criação. Isso significa que em tal grau o pai quanto a mãe precisam difundir o gene da intolerância à lactose para o filho pra que ele apresente o problema. Variados fatores são considerados de risco pra intolerância à lactose. Os sintomas de intolerância à lactose geralmente começam de 30 minutos a duas horas após a pessoa ingerir produtos ou bebidas que contenham lactose. No decorrer do tempo que a comida fica nesta seção superior, insuficiente ácido ou enzimas são segregadas pelo corpo humano. As enzimas da própria comida começam a digerir a comida. Quanto mais desta auto digestão ocorre menos serviço o organismo deve fazer mais tarde. No momento em que este tempo de trinta a quarenta minutos passa, a quota inferior do estômago abre e o corpo começa a produzir ácido e enzimas.

Pela deficiência da lactase, a lactose não absorvida sofre fermentação na flora bacteriana presente pela luminosidade intestinal. A fermentação da lactose maneira o gás hidrogênio, que se espalha pela corrente sanguínea e logo depois, nos alvéolos, podendo ser detectado pelo ar expirado. Deste jeito, as crianças com intolerância à lactose apresentam concentrações mais elevadas de hidrogênio no ar expirado depois de ingestão de lactose, permitindo o diagnóstico pelo teste do hidrogênio expirado. A concentração de hidrogênio expirado pode ser com facilidade mensurada com a utilização de um material manual de teste respiratório.

A dieta para a intolerância à lactose baseia-se pela redução do consumo ou eliminação dos alimentos que contêm lactose, como leite e seus derivados. Acompanhar a dieta sem lactose faz desaparecer os sintomas da intolerância à lactose como diarreia ou dores abdominais. A exclusão dos alimentos com lactose da dieta é o melhor tratamento pra o problema. O exame é chatinho, vai em jejum retirar sangue, depois toma um copo de lactose pura e tira mais sangue de meia e meia hora, mais 3 vezes. O efeito deu uns valores quase aproximados, pensei eu "não possuo intolerância, tinha era verme mesmo. Os números quase não mudaram! Oba". Só que para quem não tem intolerância estes números variam e muito! Ao contrário da doença celíaca, que é a alergia ao glúten, a intolerância à lactose poderá não causar qualquer sintoma ao paciente. Caso ele sinta desconforto e mesmo desse modo continue comendo produtos com lactose, o máximo que irá ocorrer é o desconforto não passar. Não há qualquer complicação importante em prosseguir comendo a lactose. Existem acessíveis medicamentos feitos com lactase que estão indicados em certos casos. Cabe recordar que ao impedir o leite e seus derivados precisamos estar concentrados a quantidade de cálcio e vitamina D pela dieta, cabendo a direção de um nutricionista.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/