Comentarios de lectores/as

Testes De Sistema Endócrino (1/quatro)

Alícia Fernandes (2018-06-27)


O kefir transforma a flora intestinal putrefativa, substituindo-a pelos bacilos lácticos de propriedades anti-sépticas. Assim como produz a secreção de uma substância antipútrida que persiste ainda depois do desaparecimento dos bacilos. É discursar que muda a putrefação (nocivo pro corpo humano humano) pela fermentação láctica. Segundo investigações da Escola da Prata, os microorganismos presentes no kefir combatem especificamente a Escherichia coli, temida bactéria responsável de afecções como a síndrome urêmico hemolítico, que podes ter conseqüências letais em crianças pequenas. Dado que a ingestão de kefir aumenta a proteção contra estas infecções, começou-se a introduzi-lo pela dieta infantil. O kefir não só dificulta a povoação de micróbios patógenos no intestino, assim como também aporta abundante ácido láctico.

suplementos alimentaresO Que é a Suplementação de Lactase? No momento em que a lactase não é produzida numa quantidade suficiente para poder preencher a necessidades do corpo humano, deste jeito levando ao quadro de intolerância à lactose, é possível fazer a suplementação desta enzima. A lactase pode ser encontrada em maneira de comprimidos, pastilhas mastigáveis, em pó e também cápsulas, bastante fáceis de serem consumidas. Para ser absorvida, a lactose precisa de ser hidrolizada no intestino por uma enzima específica - a lactase. Esta hidrólise não é mais do que a separação da lactase em componentes mais menores: a glicose e a galactose. Esses são absorvidos diretamente para a corrente sanguínea e desempenham papéis distintos no corpo humano: a glicose é usada como fonte de energia e a galactose torna-se um componente de glicolípidos e glicoproteínas.

Tomei albendazol, já que pense que fosse verme, mas não obtive melhoria. Não imagino mais o que fazer. Por favor me ajude! Faça um check-up com Vegatest ou deste modo um exame pra alergia para alimentos por IgG. Oi, Dr. Paulo. Tenho um quadro de diarreia cronica há um ano e venho tratando com probióticos e suplementos antifúngicos. De imediato reparei que alguns alimentos provocam a irritação do intestino e aumentam a regularidade com que eu evacuo. A dificuldade em digerir o açúcar existente no leite e derivados é uma realidade pra diversas pessoas. Essa problema é conhecida como intolerância à lactose. Kátia Terumi, nutricionista responsável pelo ambulatório do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, esclarece sobre isso a dificuldade e alerta que o diagnóstico não tem que ser sinônimo de desespero. De acordo com a especialista, o tratamento inicial é a retirada total da lactose da dieta para apagar o desconforto, como gases e inchaço abdominal.

Um- Deficiência Congênita da Lactase: Tipo diferente, no qual algumas pessoas nascem sem a inteligência de fornecer a lactase. É mais comum em prematuros e, desse caso, a intolerância é permanente. Dois- Redução Enzimática Secundária a Doenças Intestinais: caracteriza-se por uma deficiência temporária da enzima, ocorrendo geralmente no primeiro ano de existência, no momento em que há morte das células da mucosa intestinal que produzem a lactase. A intolerância, desse caso, é temporária e cessa no momento em que essas células forem repostas. 3- Deficiência Ontogenética: conhecida bem como como deficiência primária, é a mais comum e decorre da diminuição natural da criação de lactase. Poderá acometer cada pessoa, em cada idade. O efeito afirmativo em um checape para detectar intolerância à lactose não significa que é necessário entrar em pânico e recolher inteiramente o leite e todos os seus derivados da dieta. Antes de tudo, é preciso lembrar que intolerância não é alergia e, sendo assim, na maioria dos casos não é necessário ser tão radical na hora de reduzir a alimentação. "Tirar a lactose completamente pode privar bastante a dieta. Mesmo que tenhamos uma pluralidade amplo de alimentos sem a substância, ainda assim sendo não justifica se não for uma intolerância de grande grau", defende Clayton Camargos, nutricionista e doutor na Escola de Barcelona.

Há alguns anos atrás a enzima lactase era árduo de ser comprada no Brasil. Felizmente hoje temos imensas opções produzidas por laboratórios nacionais, acessíveis em pó, pra serem misturadas aos alimentos, ou em comprimidos. Esta mesma enzima também é fabricada em escala industrial e bastante usada pela indústria de laticínios para a criação de alimentos deslactosados.

Segundo ela, iogurte e queijos curados assim como costumam ser bem tolerados. Outra boa opção de consumo é o leite hidrolisado, no qual boa fatia da lactose prontamente está fermentada e, então, bem digestível. Pra casos mais severos, de alta rejeição, o leite de soja é uma solução mais econômica do que os leites desenvolvidos sem lactose. ➡ A adoção da Dieta Low Carb deve ser acompanhada por um profissional que entenda desta área, para melhor adequação da alimentação às tuas restrições, necessidades e objetivos. Isto impede erros de dieta e permite transformações de estratégias, evitando frustrações e abandono. 💡 Aproveite para tomar dúvidas nesse lugar sobre a Dieta Low Carb! Os testes de ige estão normais,expondo que alérgica ela não é. Será que ele ajudaria a não montar uma incerteza respiratoria? A primeira observação é de que sua filha não tem "intolerância alimentar", todavia sim "alergia alimentar", pelo grau das tuas reações e sintomas. A intolerância causa somente sintomas digestivos localizados, na ausência de enzimas digestivas ou outros defeitos metabólicas.

Respuestas

O Que É, Com que objetivo serve, Funciona, Efeitos, Suplemento

"Isis Lopes" (2018-09-20)

Toda humanidade que tem geneticamente uma intolerância, tem má absorção de lactose, no entanto isso não causa sintomas sempre. Há países, como o Japão, em que aproximadamente toda a população... Leer más

Lista Completa Dos Alimentos Na Dieta Low Carb

"Isis Lopes" (2018-09-21)

... Leer más



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/