Comentarios de lectores/as

=> Cozinha Saudável - O Que é KEFIR

Alícia Fernandes (2018-10-10)

En respuesta a Dr. Paulo Maciel

capsulas de lactasePrefiro fazer sendo assim em razão de mesmo que haja a enzima lactase que podemos tomar, dizem que o corpo vai acostumando com ela, logo é ótimo não exagerar. Como sou bastante intolerante, as vezes nem a enzima tem êxito. Desse modo é super sério vocês falarem com um médico pra pedir as orientações corretas, tá? Molhos e coberturas: molhos pra salada, molhos de queijo, manteiga e patês assim como podem conter lactose. Geralmente, a manteiga possui uma quantidade menor de lactose e pode ser uma alternativa, desde que consumida com moderação. Legumes: Matérias-primas vegetais não contêm lactose se não forem preparadas com produtos lácteos. Porém atenção: gratinados, pratos de legumes fatiados, vegetais com creme, pratos de vegetais cozidos são capazes de conter ou usar lactose nos ingredientes. Os tubérculos e raízes, em geral, precisam ser evitados, principalmente por aqueles que necessitam perder peso. Pra aqueles que de imediato estão com o peso exato, podes ser liberado o consumo ocasional, contudo não precisam fazer quota do cardápio diário. Exemplos: batata, batata-doce, mandioca, cará/inhame, mandioquinha/batata-baroa/cenourinha-amarela. De imediato ressaltei acima, entretanto vale repetir. O consumo de leite e queijos brancos precisa ser restrito por aqueles que precisam emagrecer, em razão de contêm açúcar na condição de lactose, mesmo os desnatados e aqueles denominados "sem lactose". Precisa-se suprimir refrigerantes, sucos de caixinha, bebidas energéticas e isotônicos. São recheados de açúcar e de aditivos químicos. Nem ao menos mesmo os refrigerantes light, zero ou sem açúcar precisam ser consumidos.

É cada vez mais comum nos depararmos com leites e produtos lácteos ‘sem lactose’ nos supermercados e nos anúncios de televisão do Estado. Neste momento apareceram assim como os medicamentos para intolerância à lactose, o açúcar do leite de vaca, nas farmácias e claro, nos anúncios de tv. Existe até uma linha inteira de produtos nesse tipo destinada às crianças, que inclui, entre outros ítens, leite condensado, açucarado de leite e achocolatado. Tenho intolerância a lactose e recebi a recomendação de comer a enzima lactase. Amaria de saber se existe um limite para o consumo da enzima. Segundo Ricardo Barbuti, médico assistente do departamento de gastroenterologia do HC da USP, a intolerância acontece na incapacidade de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Os sintomas da intolerância são só digestivos, sempre que os da alergia conseguem afetar o sistema respiratório e a pele, como por exemplo. Bebês que nasceram prematuros algumas vezes demoram para produzir a quantidade adequada de lactase. O grau de elaboração da enzima pelos bebês normalmente se intensifica durante o último trimestre da gravidez. É até possível os sintomas da intolerância à lactose aparecerem em crianças pequenas, contudo o mais normal é eles surgirem em crianças maiores, jovens e, principalmente, adultos. É raro bebês terem intolerância, sendo mais comum apresentarem alergia à proteína do leite.

A deficiência de lactase poderá ser primária, ou seja, o sujeito prontamente nasce com propensão a tê-la; ou secundária, quando a intolerância à lactose é adquirida no decorrer da vida, devido a algum defeito intestinal. A quantidade de lactase em gotas produzida no intestino delgado costuma ser elevada ao longo dos primeiros anos de existência, no entanto vai reduzindo-se conforme a dieta se torna mais variada, menos dependente de leite e derivados. Em várias etnias, como os asiáticos, uma suave a moderada intolerância à lactose costuma aparecer a partir dos 5 anos de idade. Em afrodescendentes e latinos, a diminuição nos níveis de lactase costuma aparecer em redor dos 10 anos. O diagnóstico da intolerância à lactose é geralmente feito clinicamente, baseado apenas pela história clínica e nos sintomas do paciente. Incertamente são necessários exames laboratoriais. Em geral, eliminamos somente pequenas quantidades de hidrogênio pelos pulmões. De imediato os pacientes com intolerância à lactose produzem grandes quantidades de hidrogênio no cólon, sendo quota desse gás reabsorvido pro sangue e eliminado pelos pulmões pela respiração. Esse teste, deste jeito, consiste pela pesquisa de hidrogênio no ar expirado depois do consumo de lactose. Após a ingestão de lactose, medimos a glicose no sangue pra saber se houve elevação dos seus níveis. Em pessoas sadias, a lactose é quebrada em glicose e galactose, sendo reabsorvida pelo intestino e lançada na corrente sanguínea. Nos pacientes com deficiência de lactase, a lactose não é digerida e a glicose contida nela não é absorvida.

Doenças inflamatórias intestinais (DII) são sensíveis a lactose e proteínas do leite não digeridas, com isto podem sofrer desconfortos e ter piora em seu quadro clínico no momento em que consumir leite e derivados. O acompanhamento com nutricionista nas DII é vital pra arrumar as deficiências nutricionais que as doenças causam e acertar a alimentação frente às restrições impostas. Essas dores começaram na adolescência com banana, abacaxi e abacate, entretanto a aflição era mais fraca. Há mais ou menos 2 anos tem piorado consideravelmente, eu não consigo ingerir nenhum tipo de fruta, nem sequer pedaços menores no meio da comida. Marquei um consulta em dezembro, no entanto escrevo esse e-mail pra ter certeza de que não estou consultando o médico errado de novo.

Respuestas

Inchaço, Gases E Cólica: Descubra Se Você Tem Intolerância à Lactose E Como Cuidar

Alícia Fernandes (2018-10-26)

comprimidos de lactaseQual é o defeito do sódio? Existem 3 tipos de intolerância à lactose, sendo a congênita, de origem genética, a mais rara. A intolerância primária é consequência do processo de... Leer más



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/