Comentarios de lectores/as

Por Que A Cultura Comprou A Estante Virtual?

Maria Marina Moreira (2018-08-01)


estante colecionadorA experiência de leitura de uma HQ é diferente da de um livro, como é diferente a forma de percebê-lo através de um filme ou uma peça de teatro. Cada justamente essa diferença que se procura usufruir nas adaptações. Essas novas formas de leitura não afetam original. Ele continuará sempre lá, preservado em seu formato, sem correr nenhum perigo.

Como guardar? mais comum é guardar esses volumes enfileirados na vertical (ficam bem bonitos na estante para vinil). Mas existe um porém, depois de um tempo peso das paginas pode começar a descolar as paginas da capa, um risco que se agrava principalmente em encadernados pesados como a Edição Definitiva de Sandman (cerca de 600 páginas). Isso não é algo tão comum de acontecer e muitos colecionadores não levam esse fato em consideração na hora de colocar as HQs na estante.

Suas prateleiras são ideais para acomodar livros, louças, utensílios e até mesmo bebidas e objetos de colecionador. Já suas portas deslizantes em vidro, permitem que conteúdo interno fique à vista; garantindo assim, maior praticidade e aproveitamento de espaço.

Ao olhar para meu exemplar de Asterix e os Godos na estante, já amarelado, com as páginas se descolando pelo tempo, sempre me vem a lembrança de minha avó. Dona Ioni sempre me incentivava a ler, tinha certo entusiasmo com a minha trajetória nas HQs, comentava de sua juventude onde tinha contato com publicado no Suplemento Juvenil e Gibi.

Este é um dos suportes mais utilizados na hora de guardar gibis, pois permite poupar espaço e conseguir uma arrumação fácil. As caixas de papelão, por serem porosas, têm a vantagem de deixar as revistas "respirar", mas deverão ser bem vedadas para impedir a entrada de pó e insetos.

Confesso que alguns dos meus gibis que guardo desde a época em que comprava nos sebos estão em estado bem precário também, e nem é tanto por falta de cuidado, porque alguns já vinham detonados da banca, mas quem disse que eu me importava com isso antigamente? Se tinha super-herói na capa, importante era prazer da leitura… Mesmo que viessem faltando algumas páginas, que outras estivessem riscadas de caneta e etc.

Funcionário público da UFPB, potiguar Alex de Souza está fazendo mestrado onde objeto de estudo gira em torno da presença do jornalista nas HQs e da novela gráfica inglesa Transmetropolitan - lembre-se que Superman e Homem Aranha são da área de comunicaçção, sem falar nos personagens coadjuvantes", disse.

Quadrinhos, HQs, Comics, Graphic Novels, Encadernados, Mensais, Gibis, Histórias em Quadradinhos, entre outros são os nomes dados a estas (Nem sempre) maravilhosas histórias ilustradas. Já as tivemos em diversos tamanhos diferentes, formatinho, gigante, especial, americano, entre um monte de outros tamanhos estranhos que só servem para dificultar a vida e a estante do colecionador de quadrinhos. Ah, colecionador de quadrinhos. Aquela figura que gosta tanto de uma história que não basta apenas lê-la uma única vez, ele precisa tê-la, abraça-la, ama-la e acaricia-la sempre que possível. Uma história, quando fascina, desperta verdadeiro amor e desejo, indiferente se a lombada está torta ou a ponta de uma página está dobrada. fã de quadrinhos os coleciona por gostar da história, dos personagens ou até mesmo do artista responsável pelo mesmo, não porque aquela edição valerá triplo do preço daqui a 20 ou 30 anos.

estante para coleçãoMeu jeito de colecionar é que me preocupo em comprar jogos de qualidade, procurando conhecer vários tipos de jogos e franquias escolhendo-os de forma cautelosa, e ao mesmo tempo, quando gosto de determinada franquia, procuro obter tudo sobre ela, claro, à medida do meu orçamento.Eu piro com edições limitadas, mas também não saio que nem louca procurando obter tudo, até mesmo porque dinheiro não dá.

Jorge Beard e Haroldo Hutchins são duas crianças cheias de energia e que adoram fazer travessuras, tantas que sobra até para os colegas de classe. jeito com que se abre quadrinho muitas vezes mostra tanto de cuidado que se tem com ele, porque dependendo da angulação que se abre se pra mais ou pra menos pode danificar quadrinho tanto na costura e colagem das páginas que acaba destruindo material e sua resistência.

Em 1948, a senhora Tea Bonelli pretendia modificar sua linha editorial, criando novas séries e parando com as meras reimpressões de histórias antigas, que já haviam esgotado seu público. Dessa forma, chama a Milão desenhista Aurelio Gallepini (que trabalhava para a Nerbini antes da guerra) e confia os textos a seu ex-marido, G.L. Bonelli, notável roteirista. Juntos, ambos criam duas séries: Occhio Cupo (série ambientada nos 700 norte-americanos, entre piratas e índios), carro-chefe da Editora (e que durou menos de um ano), e Tex, um western.

Sabe aquele livro de histórias infantis que você não abre há muito tempo? E aquele gibi já lido tantas vezes que repousa na estante? Para que crianças de quatro escolas rurais de Curaçá-BA tenham a oportunidade de lê-los projeto Leitura e contação de histórias, coordenado pela professora Patrícia Alves e a estudante Aline Miranda, do campus Petrolina Zona Rural do IF Sertão-PE, está promovendo uma campanha de doação de livros infantis e gibis. Eles podem ser entregues na Pró-reitoria de Extensão do IF Sertão-PE ou na coordenação do Campus Zona Rural até dia 31 de dezembro.



.......................................................................................................................................................................................................

Contacto

Teléfono: (+598) 2359 5478
Fax: (+598) 2354 2052
Correo-e:agrocien@fagro.edu.uy
http://www.fagro.edu.uy/agrociencia/